Mercado baixa de novo expectativa de crescimento do PIB

O mercado reduziu mais uma vez sua projeção para o crescimento da economia brasileira este ano. De acordo com a pesquisa semanal do Banco Central junto a cerca de 80 instituições financeiras, o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro crescerá este ano 1,50% e não mais 1,56% com estimado na pesquisa anterior. Para 2004, a aposta continua a mesma de 33 semanas: o PIB no próximo ano crescerá 3%. Relação dívida-PIBAs instituições consultadas pelo Banco Central estimam que a dívida líquida do setor público fechará 2003 valendo 54,95% do Produto Interno Bruto (PIB). Esse porcentual está 0,05 ponto acima da estimativa feita até semana passada, quando as instituições indicavam que a relação dívida/PIB ficaria em 54,90% ao final de 2003. Para o final de 2004, as apostas dessa semana continuam as mesmas da semana passada: a dívida líquida do setor público no próximo ano corresponderá a 53,50% do PIB. Déficit em conta corrente O mercado financeiro estima que o Brasil registrará em 2003 um déficit em transações correntes de US$ 2,70 bilhões. O valor é inferior à projeção feita na semana passada, quando as apostas eram de um déficit este ano de US$ 2,85 bilhões. A pesquisa semanal conduzida pelo Banco Central revela ainda que o mercado espera um déficit em conta corrente em 2004 superior ao que vinha sendo estimado. Os cálculos agora são de que o déficit em conta corrente do próximo ano será de US$ 5,55 bilhões, valor US$ 500 milhões superior ao estimado na semana passada. Balança comercial Em termos comerciais, os agentes consultados pela pesquisa semanal do BC elevaram de US$ 17,50 bilhões para US$ 17,70 bilhões a estimativa de superávit comercial em 2003. Para 2004, as apostas são as mesmas da semana passada: a balança comercial deverá fechar o próximo ano com um saldo positivo de US$ 15 bilhões. Investimento externoEm termos de investimentos, as instituições consultadas pela pesquisa semana do BC mantiveram em US$ 12 bilhões suas projeções para o volume de investimentos estrangeiros diretos (IED) que deverá ingressar no País em 2004. Para 2003, entretanto, a estimativa de ingresso desse tipo de capital caiu de US$ 9 bilhões para US$ 8,50 bilhões.Leia mais sobre a pesquisa semanal do BC: Mercado baixa expectativa de inflação para menos de 10%

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.