Mercado baixa expectativa de inflação para menos de 10%

A expectativa do mercado brasileiro é de que o IPCA - índice utilizado pelo governo no sistema de metas de inflação ? acumulará ao final deste ano uma alta de 9,93%, abaixo portanto dos 10,02% estimados na semana passada. É o que mostra a pesquisa semanal feita pelo Banco Central junto a cerca de 80 instituições financeiras e empresas consultadas semanalmente pelo Banco Central. A inflação projetada pelo mercado para 2003 já é menor do que a expectativa oficial. A estimativa oficial do BC é de que o índice - balisador do sistema de metas de inflação - acumule este ano uma alta de 10,2%. Esta foi a primeira vez este ano que o mercado estimou uma inflação abaixo dos 10%. Nos próximos 12 mesesAs instituições pesquisadas elevaram de 6,20% para 6,64% suas projeções para o comportamento da inflação nos próximos 12 meses. Para o mês de agosto, as apostas das instituições consultadas é de que o IPCA registrará uma inflação de 0,60%, valor 0,03 ponto porcentual superior à projeção feita na pesquisa anterior, que era de 0,57% este mês. Para 2004 a aposta de uma inflação de 6,50% no ano foi mantida. O motivo do aumento da previsão para 12 meses A elevação de 6,20% para 6,64% na projeção do mercado para o comportamento do IPCA nos próximos 12 meses ocorreu porque a estimativa de inflação para julho de 2004 é superior ao resultado de 0,20% resgistrado em julho deste ano. Até a pesquisa da semana passada, a projeção do IPCA nos próximos 12 meses estava sendo calculado considerando a variação do índice entre julho de 2003 e junho de 2004. Com a divulgação do resultado do IPCA em julho, que registrou uma alta 0,20%, o cálculo passou a ser feito considerando o período de agosto de 2003 a julho de 2004. "Foi retirado do cálculo um mês onde a inflação foi de 0,20% e incluído um outro (julho de 2004) onde a expectativa de inflação é superior a 0,20%", explica técnico do Banco Central. Preços administrados Olhando apenas os preços administrados, que incluem as tarifas públicas como energia elétrica e telefonia, as instituições ouvidas na pesquisa semanal do BC acham que esse conjunto de preços registrará em 2003 uma inflação de 13,60%, abaixo dos 13,84% projetados até semana passada. Para 2004, os cálculos feitos pelas instituições indicam que esse conjunto de preços terá uma inflação de 8%, mesmo valor estimado na semana passada. Previsão sobre o dólar cai O mercado financeiro brasileiro acredita que o dólar terminará o ano valendo R$ 3,15. A projeção está abaixo da registrada na semana passada, quando os agentes consultados apostavam que o dólar fecharia 2003 cotado a R$ 3,18. As projeções para a taxa de câmbio ao final de 2004 também foram refeitas. A aposta dos agentes consultados é de que o dólar fechará o próximo ano cotado a R$ 3,41 e não mais R$ 3,44. Previsão sobre Selic mantém-se em 23% O mercado financeiro continua apostando que o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central irá reduzir este mês a taxa Selic em mais 1,5 ponto porcentual. De acordo com pesquisa divulgada há pouco, as apostas dos agentes consultados pelo BC é de que a Selic fechará o mês de agosto em 23% ao ano, o que representa uma queda de 1,5 ponto porcentual em relação ao atual patamar da taxa básica de juros, de 24,5% ao ano. A expectativa para o nível de fechamento do ano, entretanto, permaneceu em 20%, de acordo com o resultado da pesquisa divulgada esta manhã pelo Banco Central. Para 2004, os agentes fizeram uma pequena alteração em suas projeções. A aposta agora é que a Selic estará em 15,80% ao ano no fechamento de 2004 e não mais 16% como estimado até semana passada. Leia também: Mercado baixa de novo expectativa de crescimento do PIB

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.