seu bolso

E-Investidor: O passo a passo para montar uma reserva de emergência

Mercado busca equilíbrio de olho nas pesquisas

Depois de muitas oscilações e boatos ontem, os mercados contiveram o pessimismo e parecem estar se equilibrando em novos patamares de negócios. A sucessão presidencial continua no centro das atenções, mas há um certo otimismo em relação às pesquisas a serem divulgadas no início da semana que vem. E os números das contas públicas também agradaram.As contas do governo em abril trouxeram surpresas positivas, entre elas o superávit primário de R$ 5,715 bilhões, acima das expectativas. Na terça-feira devem ser divulgados novos indicadores de inflação e desempenho da economia. Até lá, os números mais esperados são os de intenções de votos para o pré-candidato governista, José Serra, depois da inserção de chamadas na televisão ao longo da semana e da escolha da deputada Rita Camata para vice. Investidores esperam que ele finalmente ganhe alguns pontos e distancie-se dos demais candidatos que disputam o segundo lugar. Ainda assim, o mau desempenho de Serra deixa os mercados nervosos e pessimistas.Mostra disso são as seguidas altas do dólar, quedas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) e saída de capital estrangeiro da Bolsa. Nos primeiros 20 dias de maio, o saldo ficou negativo em R$ 155,276 milhões, dadas as compras de ações de R$ 1,831 bilhão e vendas de R$ 1,987 bilhão. Agora, o saldo de capital externo acumulado no ano caiu para R$ 616,462 milhões.Hoje o mercado de câmbio pode acabar sofrendo alguma pressão por conta do feriado norte-americano de Memorial Day na segunda-feira, já que algumas contratações de câmbio precisam ser antecipadas. Os Estados Unidos vêm preocupando, tanto por causa do desempenho da economia dos EUA como pela possibilidade de novos ataques terroristas, o que mantém os investidores cautelosos.Mercados ontemOntem o dólar comercial para venda fechou em R$ 2,5290 - uma leve alta de 0,16% em relação ao dia anterior. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) encerrou o dia com queda de 1,52%. No mercado de juros, os contratos de DI futuro com vencimento em junho, negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), terminaram o dia com taxas de 18,200% ao ano, frente a 18,250% ao ano negociados anteontem. Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

Agencia Estado,

24 de maio de 2002 | 08h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.