Mercado cauteloso com Bush e Greenspan

Os mercados internacionais oscilaram conforme o tom do aguardado discurso do presidente dos EUA, George W. Bush, na abertura da 57ª Assembléia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), e do pronunciamento do presidente do Fed - banco central norte-americano -, Alan Greenspan, para o Congresso.Bush deu uma espécie de ultimato à ONU, pedindo que a organização faça com que o Iraque cumpra todas as resoluções já aprovadas pelo organismo. Segundo ele, o Iraque violou 16 resoluções da ONU desde 1990. O presidente norte-americano indicou que se a ONU não agir para garantir o cumprimento das resoluções, os EUA o farão. Bush declarou que o regime de Saddam Hussein representa uma grave ameaça à paz mundial e à estabilidade, tanto por causa de sua história de agressões, como em razão dos seus esforços contínuos para preparar armas de destruição em massa.Até o pronunciamento de Greenspan ficou em segundo plano, mas ele não evitou mencionar o Iraque. O presidente do Fed afirmou que o governo deve pesar as suas metas militares e estratégicas e não o impacto econômico, quando tenta atingir seus objetivos externos. Greenspan afirmou que está confiante de que uma eventual guerra contra o Iraque, se for curta, não deve gerar um choque nos preços do petróleo ou atrasar a economia dos EUA.Durante o discurso preparado antecipadamente para a data, Greenspan alertou que a volta da era de déficits amplos no orçamento poderia causar elevação nas taxas de juro no longo prazo, apesar de ter destacado que os déficits deste ano são temporários. O presidente do Fed afirmou que a economia resistiu aos impactos provocados pelo declínio dos mercados acionários e dos atentados terroristas de 11 de setembro, embora "os efeitos depressivos ainda estejam atingindo e influenciando a economia, particularmente, a perspectiva para o orçamento federal". Sem um anúncio de guerra imediata, os preços do petróleo caíram com o discurso de Bush na ONU. Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), os contratos futuros do petróleo cru chegaram a cair abaixo de US$ 28,70 por barril. A Bolsa de Nova York abriu e seguiu em baixa até o início da tarde. Apesar das atuações do Banco Central (BC) no mercado de câmbio na manhã de hoje, o dólar manteve-se em alta moderada durante todo o período. Na primeira intervenção, a autoridade monetária ofertou e vendeu integralmente US$ 50 milhões em linhas externas sem compromisso de repasse a exportadores. O BC também vendeu em leilão de moeda estrangeira vinculado ao financiamento às exportações US$ 43,9 milhões. Apesar das atuações do BC, os mercados operaram com cautela e cotações mais pessimistas.MercadosÀs 15h, o dólar comercial estava sendo vendido a R$ 3,1280; em alta de 0,74% em relação às últimas operações de ontem. Ao longo do dia, o valor mínimo negociado foi de R$ 3,1100 e o máximo, de R$ 3,1310. Com o resultado apurado agora, o dólar acumula uma alta de 35,06% no ano e queda de 0,70% nos últimos 30 dias.No mercado de juros, os contratos de DI futuro com vencimento em janeiro de 2003 negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros pagavam taxas de 20,400% ao ano, frente a 20,350% ao ano ontem. Já os títulos com vencimento em julho de 2003 apresentam taxas de 22,850% ao ano, frente a 22,620% ao ano negociados ontem.A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera em queda de 0,50% em 10131 pontos e volume de negócios de cerca de R$ 229 milhões. Com o resultado de hoje, a Bolsa acumula uma queda de 25,36% em 2002 e de 4,23% nos últimos 30 dias. Das 50 ações que compõem o Ibovespa - índice que mede a valorização das ações mais negociadas na Bolsa -, 11 apresentaram alta. Em Nova York, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - apresenta queda de 1,66% (a 8439,1 pontos), e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York -cai 1,87% (a 1290,88 pontos). O euro opera em alta de 0,52%; sendo negociado a US$ 0,9806. Na Argentina, o índice Merval, da Bolsa de Valores de Buenos Aires, fechou em alta de 2,09% (394,22 pontos). Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.