Mercado cauteloso com eleição e cenário externo

O alívio com a decisão do Iraque de aceitar a inspeção irrestrita do seu arsenal pela Organização das Nações Unidas (ONU) durou muito pouco. Os mercados, que ensaiaram uma recuperação pela manhã, não resistiram ao medo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT/PL) vencer as eleições já em primeiro turno. O mercado inverteu o sinal, com queda na Bolsa e alta no dólar. As bolsas em Nova York também não ajudaram, pois reagiram mal ao ceticismo do governo Bush em relação à decisão do Iraque e aos dados econômicos divulgados. Os investidores voltaram ao pessimismo por conta dos boatos sobre os resultados de pesquisas eleitorais que estão para ser divulgadas e que mostrariam novo crescimento de Lula, aumentando a possibilidade dele sair vitorioso em primeiro turno. Segundo os rumores, que circulam desde ontem pelas mesas de operações, Lula estaria muito próximo dos 50% dos votos válidos e José Serra (PSDB/PMDB), o candidato preferido do mercado, estaria estagnado. O Ibope deve divulgar hoje à noite os números da corrida presidencial. Na quinta-feira, sai o resultado do Vox Populi.A esperança de que Serra consiga uma vaga no segundo turno não foi abandonada, até porque ainda faltam 19 dias para as eleições e muita coisa pode acontecer até lá. Mas se os boatos forem confirmados a Bolsa deverá reagir mal não só pela subida de Lula mas pela estagnação de Serra, segundo analistas. E, aparentemente, as cotações ainda podem reagir mal se Lula realmente vencer.Outro motivo que ajudou a empurrar a bolsa para baixo foi a instabilidade de Wall Street. A desconfiança da Casa Branca com a decisão do Iraque de aceitar a volta dos inspetores da ONU mostrou que não foi afastado o medo de uma guerra, embora ela esteja um pouco mais distante. Além disso, os investidores ficaram desapontados com a queda de 0,3% da produção industrial nos EUA, em agosto, pela primeira vez no ano.Se nas bolsas o alívio com o Iraque foi breve, no mercado de petróleo o efeito positivo foi mais duradouro. Até o início da tarde, as cotações dos contratos futuros continuavam apontando queda expressiva, embora os preços estejam ainda altos.Assim, diante dessas incertezas, o mercado não acredita que haverá corte da Selic - a taxa básica referencial da economia -, atualmente em 18% ao ano. A reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) termina amanhã. Há opiniões destoantes, mas, para a maior parte dos profissionais, a discussão é se o comitê manterá ou não o viés de baixa - autorização para que o Banco Central corte o juro quando julgar adequado.MercadosÀs 15h, o dólar comercial estava sendo vendido a R$ 3,2380; em alta de 0,68% em relação às últimas operações de ontem. Ao longo do dia, o valor mínimo negociado foi de R$ 3,1940 e o máximo, de R$ 3,2430. Com o resultado apurado agora, o dólar acumula uma alta de 39,81% no ano e de 3,62% nos últimos 30 dias.No mercado de juros, os contratos de DI futuro com vencimento em janeiro de 2003 negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros pagavam taxas de 20,900% ao ano, frente a 20,970% ao ano ontem. Já os títulos com vencimento em julho de 2003 apresentam taxas de 24,000% ao ano, estáveis frente às taxas negociadas ontem.A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera em queda de 1,15% em 9719 pontos e volume de negócios de cerca de R$ 235 milhões. Com o resultado de hoje, a Bolsa acumula uma baixa de 28,42% em 2002 e alta de 2,04% nos últimos 30 dias. Das 50 ações que compõem o Ibovespa - índice que mede a valorização das ações mais negociadas na Bolsa -, 23 apresentaram baixa. O principal destaque são os papéis da Petrobrás, ON (ordinárias, com direito a voto), com queda de 5,29%.Em Nova York, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - apresenta queda de 1,43% (a 8261,7 pontos), e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - cai 0,48% (a 1269,70 pontos). O euro opera em queda de 0,27%; sendo negociado a US$ 0,9693. Na Argentina, o índice Merval, da Bolsa de Valores de Buenos Aires, está em queda de 0,03% (385,64 pontos). Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.