Mercado cauteloso com temor de CPI; dólar sobe

A semana começa com várias dúvidas pairando sobre a cabeça dos investidores. No âmbito político, o caso de corrupção que afastou do governo Waldomiro Diniz, nome considerado de confiança do ministro José Dirceu, e estressou os mercados na sexta-feira, pode virar CPI. Até alguns dos membros do PT concordam com as investigações. Mesmo que o escândalo seja bem administrado e tudo acabe bem, o caso desgasta a imagem do governo, que já vem perdendo encanto perante a população e exigirá esforços que poderiam estar sendo dirigidos a questões mais urgentes. Então, ainda que a CPI não ocorra, as denúncias que atingiram o Planalto já causam estragos no mercado e na economia e influenciam a segunda das dúvidas que o mercado vai administrar para decidir negócios nesta semana: a decisão do Copom sobre a taxa Selic, que será conhecida na quarta-feira. Desde sexta-feira passada, as apostas na manutenção do juro voltaram a aumentar por causa da insegurança política.O dólar abriu em alta de 0,14%, cotado a R$ 2,91. Às 11h39, subia 0,10%, cotado a R$ 2,909. Veja a cotação do dólar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.