Mercado chileno cresceu 1,4% no ano passado

O mercado imobiliário chileno, assim como o brasileiro, vive um período de acomodação depois de um período de vendas aceleradas. No ano passado, segundo pesquisa da Câmara Chilena da Construção, foram vendidos 68.095 imóveis novos em todo o país - um crescimento de 1,4% em relação ao ano anterior.

O Estado de S.Paulo

17 de novembro de 2014 | 02h03

Para se ter uma ideia de como o mercado chileno é pequeno na comparação com o do Brasil, em 2013, só na região metropolitana de São Paulo foram comercializadas 58.370 unidades, alta de 14,7% em relação a 2012.

No ano passado, no entanto, o Produto Interno Bruto (PIB) no Chile cresceu 4,1%, enquanto o brasileiro não passou de 2,3%.

Para a professora Abla Akkari, do núcleo de Real Estate da USP, embora o mercado chileno seja relativamente menor, o país apresenta vantagens. Segundo ela, o sistema de financiamento hipotecário permite empréstimos de 15 a 20 anos a taxas baixíssimas. "O sistema é modelo e serviu de base conceitual para a proposta que o SindusCon-SP fez para o Sistema Financeiro da Habitação", afirma.

Tudo o que sabemos sobre:
Chileconstrução

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.