Mercado começa o dia com poucas oscilações

O Comitê de Política Monetária (Copom) começa a se reunir hoje para definir a taxa de juros básica - Selic - no Brasil, que está em 18,5% ao ano. De acordo com os analistas, o patamar de inflação no País já permite uma redução dos juros. Porém, o Comitê está mais atento à instabilidade externa gerada pela alta no preço do petróleo. Além disso, existe a preocupação em relação ao desaquecimento da economia norte-americana, que começa a dar seus primeiros sinais, de acordo com os últimos índices divulgados nos EUA.De acordo com apuração da editora Lucinda Pinto, a maioria dos operadores de mercado aposta em uma manutenção da Selic em 18,5% ao ano, com viés de baixa, sinalizando que os juros devem cair. Espera-se que isso aconteça após a reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), marcada para quarta-feira, que vai decidir sobre uma possível alta da produção do petróleo.Outra decisão de grande relevância para o Copom é a nova taxa de juros nos Estados Unidos, que deve ser definida nos dias 27 e 28 de junho, quando o banco central norte-americano (FED) se reúne. Amanhã, o Tesouro Nacional vai oferecer novo lote de títulos prefixados. O prazo continua em seis meses e, só quando o cenário externo estiver mais estável, e os investidores mais confiantes, ele pode voltar para o prazo de um ano. Mercado abre o dia estável Há pouco, o swap prefixado de um ano estava pagando juros de 19,60% ao ano para uma base de 252 dias úteis. Na sexta-feira, título com a mesma base de comparação, pagou 19,61% ao ano. Operadores acreditam que, por conta da expectativa pelo resultado do Copom, a liquidez - facilidade de negociação - de títulos no mercado futuro de juros deve ficar reduzida e as taxas em ligeira queda. O dólar deve ser negociado hoje com as cotações sendo definidas pelo fluxo de recursos - entradas e saídas de dólares - e pelas expectativas com relação às definições esperadas para esta semana. O dólar negociado nos primeiros negócios do dia estava cotado a R$ 1,8070. Na sexta-feira, o dólar oficial fechou em R$ 1,8073As bolsas devem passar o dia em compasso de espera. No mercado interno, os investidores estarão atentos à reunião do Copom e devem reduzir os negócios. Em Nova Iorque, a apuração do editor Francisco Carlos de Assis revela que a expectativa é pela reunião da Opep e do FED, o que deve levar o mercado a operar próximo da estabilidade. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) registra leve alta de 0,04%. A Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas do setor de tecnologia - está em baixa de 0,16% e o Dow Jones - índice que mede a valorização das ações das empresas mais negociadas na Bolsa de Nova Iorque - opera em alta de 0,61%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.