Mercado de ações pela Internet

Para ampliar o mercado acionário e agilizar os processos de compra e venda de ações, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) criou o sistema Home Broker no ano passado. A tecnologia permite a compra e a venda de ações ou de opções em tempo real pela Internet diretamente na Bolsa. Somente no After-Market - sistema que permite a negociação de ações fora do horário do pregão oficial -, a Bolsa comunica à corretora quando o investidor atingir R$ 100 mil. Entretanto, a entidade não interfere ou limita as operações que superarem esse valor. Além da praticidade, o Home Broker oferece outras vantagens ao investidor, como a garantia de agilidade no cadastramento e trâmite de documentos e a verificação de posições financeiras e de custódia. O investidor vai poder acompanhar sua carteira de ações e ter acesso às cotações dos papéis. Para investir em ações via Internet, no entanto, é necessário que o investidor seja cliente de uma corretora filiada à Bovespa que já esteja interligada à tecnologia do Home Broker. Atualmente existem 55 corretoras habilitadas a operar o sistema - 30 estão em plena operação. Hoje 1% do volume de negócios da Bolsa é feito pelo Home Broker. Desde o fim de agosto, o investidor pode operar opções pelo sistema, que é um produto financeiro derivativo do mercado à vista de ações. Por meio dele, o investidor obtém o direito de comprar ou vender um papel a um preço e prazo determinados. Por enquanto, poucas corretoras estão ofertando o produto por causa da sua complexidade e alto grau de risco. Entre elas estão Hedging-Griffo, Patagon, Souza Barros e Coinvalores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.