Mercado de futuro estréia novo negócio na Argentina

O mercado de futuros de Buenos Aires estreiará, hoje, o índice peso-dólar batizado com o nome de Domay. Criada pelo Mercado de Valores (Merval), a nova rodada de negociações será dedicada exclusivamente ao segmento atacadista, e terá como principal desafio, gerar um volume suficientemente elevado, capaz de consolidar-se entre os grandes investidores. O Domay se somará ao Indol (também do Merval) e ao Rofex (Mercado a Término de Rosário) e tentará ser uma solução para os contratos com cifras em torno de US$ 1 milhão, as quais são operativamente complicadas de realizar no Indol, onde o limite é de US$ 2,5 mil por cada ação do Merval que o operador possui. No novo mercado, a unidade mínima será de US$ 50 mil e não terá teto determinado. A queixa mais frequente dos operadores do mercado de futuros é que em inúmeras situações, quando estão com operações de dois ou mais clientes, eles se encontram no teto de suas cotas e, ?por consequência, ficam limitados?, disse um operador à AE. O presidente do Merval, Héctor Bacqué, explica que o novo produto foi desenhado para "satisfazer as necessidades comerciais e financeiras que as empresas exportadoras e importadoras têm de cubrirem-se do risco cambial e reduzir a incerteza em sua operações". Ele destaca que uma das maiores vantagens do Domay é ser "uma ferramenta muito flexível, já que não possui limite máximo de volume". Dentre os operadores dos bancos, que são os que lidam com contratos de maior volume, a estréia do Domay é bem esperada, embora haja um clima de cautela na hora de fazer projeções sobre sua evolução.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.