finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Mercado de juros mantém aposta em corte da Selic

A expectativa em torno do resultado da reunião do Federal Reserve, que define hoje como ficam as taxas de juros nos EUA, deve manter o mercado brasileiro em compasso de espera, esta manhã. Os especialistas dão como certo o corte de mais 0,5 ponto porcentual no juro norte-americano e há até os que consideram a hipótese de essa queda chegar a 0,75 ponto porcentual. "Essa possibilidade foi levantada depois da divulgação dos indicadores sobre a confiança do consumidor dos EUA, que mostraram pessimismo, mas um corte de 0,75 é muito forte e sem precedentes nos EUA. É pouco provável", avalia o gerente de derivativos do Lloyds TSB, Maurício Zanella. O especialista ressalta a importância que devem ter os números da economia norte-americana que saem hoje, como o PIB do quarto trimestre de 2000, que será divulgado às 11h30. Brasil - Em relação ao Brasil, a avaliação de Zanella, compartilhada por outros analistas de mercado, é de que a situação é tranquila e a trajetória do juro, de queda. E isso continua movendo os negócios na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F). "O Brasil está muito bem. A arrecadação é boa e a inflação baixa. A balança comercial incomoda, mas enquanto o País tiver recursos para financiar esse déficit, o governo não vai sacrificar o crescimento", acredita Zanella.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.