Mercado de previdência prepara novos produtos

O mercado de previdência complementar aberta prepara-se para lançar novos produtos nos próximos meses, como o Plano com Atualização Garantida e Performance (PAGP) e o Plano com Rentabilidade Garantida e Performance (PRGP). A afirmação é de Fuad Noman, presidente da Associação Brasileira das Entidades de Previdência Aberta (Anapp). Ele disse que os novos produtos darão continuidade ao crescimento expressivo do setor nos últimos anos.Paulo Hirai, diretor de Mercado da Brasilprev, observa que a instituição está se preparando para o lançamento dos novos produtos. De acordo com definição da Superintendência de Seguros Privados (Susep), o PAGP designa "planos que garantam, durante o período anterior ao de pagamento de benefício, apenas a atualização de valores". O PRGP designa "planos que garantam, durante o período anterior ao de pagamento de benefício, remuneração por meio da contratação de taxa de juros e de índice de atualização de valores".Hirai diz que os novos produtos serão destinados basicamente a pessoas com idade próxima a 60 anos e que desejam fazer um investimento conservador com rentabilidade garantida. Ele acredita que o mercado vai utilizar o Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) como o indexador do plano previdenciário.Fuad observa que a estabilidade econômica e o controle da inflação ao longo dos últimos anos permitiram que a população brasileira passasse a planejar sua vida com uma visão mais de longo prazo. As reservas acumuladas por meio da previdência privada saltaram dos R$ 3 bilhões registrados em dezembro de 1994 para R$ 26 bilhões auferidos ao final do primeiro semestre de 2002.Isso significou crescimento próximo a 800% nas entidades de previdência complementar aberta. O faturamento anual do setor passou de menos de R$ 600 milhões em 1994, para R$ 10,0 bilhões em 2002. O número de participantes em planos abertos atingiu 4,3 milhões em dezembro de 2001.Candidatos não têm propostas para previdênciaPesquisa realizada pela Anapp nos sites de campanha dos candidatos à Presidência da República constatou inexistência de propostas detalhadas sobre a reforma da Previdência, segundo informou Fuad Noman, lembrando que recentemente a entidade reuniu representantes dos principais candidatos à Presidência, do governo e de órgãos de fiscalização do setor, além de lideranças e especialistas em previdência, para debater as propostas dos presidenciáveis para a área da previdência. Segundo Noman, a entidade procurará abrir um canal com o presidente eleito e apresentará uma proposta de reforma da previdência social.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.