Mercado de TI já chega a US$ 20,4 bi

A receita do setor de informática no Brasil cresceu 18% em 2006 e deve avançar pelo menos 15% este ano

Renato Cruz, O Estadao de S.Paulo

31 de outubro de 2007 | 00h00

O mercado brasileiro de informática cresce fortemente, impulsionado pelo câmbio favorável e pelo desempenho da economia. Em 2006, a receita liquida das empresas de tecnologia dainformação somou US$ 17,7 bilhões no Pais, um crescimento de 18% sobre o ano anterior, segundo o Anuário Informática Hoje 2007. Este ano, deve ficar em pelo menos US$ 20,4 bilhões. A consultoria IDC prevê uma expansão acima de 15% para as compras de tecnologia no Brasil. A maior empresa de informativa do Brasil, segundo o Anuário, e a IBM,com receita liquida de US$ 1,79 bilhão, seguida da HP Brasil (US$ 1,512 bilhão) e da Samsung (US$ 854,4 milhões). Entre as brasileiras, a mais bem colocada e a estatal Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), com receita de US$ 556,1 milhões, em sexto lugar. A Itautec ficou em sétimo, com US$ 548,4 milhões, e a Positivo Informática,maior fabricante de computadores do Pais, ficou na nona colocação, com receita de US$472,4 milhões. ''''Entre os mercados que a HP atua, o que mais tem crescido e o de consumo, incentivado pela Expansão do financiamento, somada ao dólar favorável'''', afirmou Denoel Eller, diretor de Marketing e Soluções da HP. A Lei do Bem, que reduziu tributos federais sobre a venda de computadores, reduziu a participação do mercado cinza, que trabalha com pecas contrabandeadas, e baixou o preço dos produtos. ''''O consumidor puxa toda a economia.'''' No mercado corporativo, o executivo destacou que o crescimento do investimento estrangeiro no Pais e a abertura de capital das empresas brasileiras tem levado a investimentos crescentes em tecnologia da informação. ''''O mercado tem sido incentivado pelo setor privado'''', explicou Eller. ''''Os investimentos em TI normalmente estão ligados ao crescimento da economia.''''O mercado brasileiro de tecnologia tem crescido acima da media mundial. ''''Hoje somos o12o maior mercado do mundo'''', apontou o diretor da HP. ''''Em 2010, chegaremos a nono ou décimo.'''' Ele destacou que o País também tem atraído investimento em pesquisa e desenvolvimento. A HP e suas 28 universidades parceiras tem mais de mil pessoas envolvidas na criação de tecnologia adotada pela empresa em todo o mundo. ''''Investimos mais que o dobro do que exige a legislação'''', disse o executivo.O Anuário destacou a Positivo Informática como a empresa do ano. A receita da companhia avançou 78,46%, em dólares, no ano passado e avançou da 17a para a 9a posiçãono ranking. ''''O mercado foi impulsionado pela redução dos preços em função da queda dodólar e da isenção de PIS e Confins, concedida através da MP do Bem para computadores deateR$ 4mil, além do Programa Computador Para Todos, do governo federal, que permite queo computador seja financiado em ate 24 parcelas no varejo, a taxas de juros mais baixas'''', afirmou Hélio Rotenberg, presidente da Positivo Informática, ao Anuário.Os fabricantes de computadores acreditam que o Natal deste ano será dos notebooks.As vendas de computadores portáteis cresceram 106,7% no segundo trimestre deste ano,quando comparado ao mesmo período de 2006, segundo a consultoria IDC. A participaçãodos notebooks nas vendas totais de PCs esta em 16%. Mais da metade do faturamento do setor de tecnologia da informação são serviços, segundo a publicação. O setor de serviço liderou o crescimento em 2006, com expansão de 25%, e respondeu por 51% das receitas liquidas. As vendas de equipamentos subiram 17,8%, chegando a 37,3% do total, e as de software diminuíram 1,55%, ficando em 11,7%. Foram avaliadas 252 empresas. O Brasil tem uma fatia de 46% do mercado de tecnologia da informação da América Latina, o dobro do que movimenta o Mexico, o segundo colocado na região. A argentina vem em terceiro, com 6%. As grandes empresas, com mais de 500 funcionários, são responsáveis por mais 60% do mercado de tecnologia no Brasil.No ranking das multinacionais de tecnologia da informação, que leva em conta os númerosmundiais das companhias, a HP ficou em primeiro lugar, com receita liquida de US$ 91,6bilhões, seguida da IBM (US$ 91,4 bilhões) e da Microsoft (US$ 44,2 bilhões).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.