Mercado: dia de poucos negócios

Com o feriado de Ação de Graças hoje nos Estados Unidos, os negócios no mercado financeiro brasileiro tendem a apresentar oscilações menores. Nos últimos dias, uma das principais influências tem sido a incerteza quanto à desaceleração da economia norte-americana, que afeta principalmente o mercado acionário. Ontem, a Nasdaq - bolsa dos Estados Unidos que negocia papéis do setor de tecnologia e Internet - caiu 4,04%. No acumulado do ano, a perda é de 32,29%.Nesse cenário, a expectativa para a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) é de um dia de poucas oscilações, em função do feriado norte-americano. Porém, não se espera uma recuperação dos negócios, já que a falta de otimismo dos investidores com o mercado de ações reduz o volume negociado na Bolsa e impede uma alta mais expressiva. Há pouco, a Bovespa estava em leve alta de 0,05%.Juros: operações seguem CopomNo mercado de juros, as operações devem se ajustar à decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) que decidiu manter a taxa básica de juros em 16,5% ao ano, sem colocação de viés. Isso quer dizer que os juros serão reavaliados novamente na próxima reunião do Comitê em 20 de dezembro. De acordo com analistas, o recuo da inflação e os bons fundamentos da economia brasileira já abririam espaço para um corte nas taxas de juros (veja mais informações no link abaixo). Porém, o cenário externo ainda é muito instável e não permite uma decisão mais ousada do Comitê agora. No início dessa manhã, os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagam juros de 17,770% ao ano, frente a 17,590% ao ano registrados ontem. DólarNo mercado de câmbio, existem dois fatores que devem influenciar os negócios nos próximos dias. De um lado, dos cerca de US$ 3,6 bilhões referentes à compra do Banespa pelo Santander, US$ 2,4 bilhões já foram internalizados, segundo estimativas do mercado. Com isso, a tendência de baixa nas cotações deve diminuir. Porém, a VBC - consórcio formado pela Votorantin, Bradesco e Camargo Corrêa - desistiu de participar do leilão da Cesp Paraná, previsto para acontecer em 6 de dezembro. Os interessados agora são apenas grupos estrangeiros, o que aumenta a possibilidade de entrada de dólares no País no curto prazo, favorecendo a uma baixa nas cotações. No início da manhã, o dólar comercial estava cotado a R$ 1,9380 na ponta de venda dos negócios - alta de 0,26% em relação aos últimos negócios de ontem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.