Mercado do turismo pode ter retração de 2% em 2009, diz OMT

Reflexos da recessão econômica chegam ao setor, que registrou retração de 1% no segundo semestre de 2008

Gustavo Uribe, da Agência Estado,

27 de janeiro de 2009 | 12h17

O mercado do turismo poderá ter uma retração de até 2% em 2009, informou nesta terça-feira, 27, em nota à imprensa, a Organização Mundial do Turismo (OMT). Segundo a instituição, que tem sede em Madrid, os reflexos da recessão econômica já chegaram à indústria do turismo que, no final de 2008, contabilizou um crescimento menor do que o esperado, de 2%, totalizando 924 milhões de visitantes ao redor do mundo. Veja também:Desemprego, a terceira fase da crise financeira global De olho nos sintomas da crise econômica Dicionário da crise Lições de 29Como o mundo reage à crise  Nos seis primeiros meses de 2008, as movimentações de turistas no mundo foram de 5%, mas no segundo semestre caíram para -1%. Segundo a OMT, a última retração do setor foi em 2003, com o registro de -1,4%. O comunicado indica também que as Américas e a Europa serão as regiões mais afetadas em termos de resultados, uma vez que esses mercados já entraram em recessão. No entanto, o porta-voz da OMT, Geoffrey Lipman, minimiza as previsões negativas, indicando que dentro de quatro anos o setor retomará o crescimento. No Brasil, o mercado do turismo registrou uma arrecadação recorde em 2008, com gastos de estrangeiros no Brasil da ordem de US$ 5,78 bilhões no encerramento do ano. Em dezembro de 2008, o montante foi 12,3% maior ante o mesmo mês de 2007, quando os turistas estrangeiros deixaram US$ 469 milhões no País. Segundo o Ministério do Turismo, o País cresceu mais que o dobro da média mundial ao ano, calculada pela OMT em 2%. Para 2009, ainda que as previsões sejam negativas para as Américas, o Ministério do Turismo acredita que o turismo brasileiro não sofrerá perdas. Segundo a assessoria do órgão, o país deverá registrar crescimento, mas ainda não é possível prever o porcentual. A expectativa de crescimento é feita com base na campanha de incentivo ao turismo brasileiro realizada pelo governo brasileiro.

Tudo o que sabemos sobre:
Crise FinanceiraTurismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.