Mercado: dólar e juros indefinidos

Depois da intervenção do Banco Central (BC) ontem no mercado de câmbio, quando comprou dólares para segurar a queda da cotação da moeda, os investidores ficaram inseguros quanto ao posicionamento a se tomar. Os operadores acreditam que, caso as tesourarias dos bancos iniciem um movimento de venda, o BC poderá atuar novamente. A instituição já avisou que dispõe de R$ 3 bilhões para a compra de dólares, conseguindo assim segurar o câmbio.Diante disso, o mercado de câmbio fica sem definição para hoje. O dólar abriu cotado a R$ 1,9340 na ponta de venda dos negócios e há pouco era vendido a R$ 1,9370 - alta de 0,89% em relação aos últimos negócios de ontem. A expectativa para os próximos dias é de queda na cotação do dólar. Mas isso só deve confirmar-se com a entrada dos dólares provenientes da venda do Banespa ao Santander. Ainda assim, os dólares precisam passar pelo mercado financeiro, o que não é uma certeza, já que podem ingressar diretamente nas reservas.No mercado de juros, hoje sai a definição do Comitê de Política Monetária (Copom) sobre a taxa básica de juros - Selic. A maioria dos analistas aposta em manutenção dos juros em 16,5% ao ano. Apesar dos resultados de inflação negativos, as indefinições no cenário externo continuam (veja mais informações a seguir). No início dessa manhã, os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - começam o dia pagando juros de 17,650% ao ano, frente a 17,530% ao ano registrados ontem. Veja logo mais a abertura no mercado de ações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.