Mercado eleva previsão de inflação neste ano pela 4ª semana

Previsão do IPCA subiu de 4,66% para 4,71% na apuração desta semana; crescimento deve ser afetado

Reuters,

22 de abril de 2008 | 08h42

Pela quarta semana seguida, o mercado revisou para cima a expectativa para a inflação neste ano. De acordo com a pesquisa Focus divulgada pelo Banco Central (BC) nesta terça-feira, 22, a estimativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) - usado como referência para a meta de inflação - passou de alta de 4,66% na semana passada para 4,71% na apuração desta semana. O resultado mantém-se acima da meta de inflação para o ano, que é de 4,5%. Contudo, ainda está dentro da margem - dois pontos porcentuais para cima e para baixo. Para o final de 2009, a expectativa permaneceu em 4,40%.  Veja também: Especial: A crise dos alimentos  Apesar da previsão maior para a inflação, a pesquisa manteve a mesma expectativa da semana passada para a Selic - a taxa básica de juros da economia. Segundo a apuração desta semana, o juro básico no final deste ano ficará em 12,75% e para o fim de 2009 foi mantido em 11,25%. De qualquer forma, os números mostram que o mercado já sinaliza que os juros vão continuar subindo em 2008. Na semana passada, o BC elevou a Selic de 11,25% para 11,75% ao ano e, tomando por base a previsão apontada na pesquisa Focus, isso significa um aumento de mais 1 ponto porcentual até o final do ano. Com inflação mais alta e os juros elevados, o mercado revisou para baixo a previsão de crescimento para este ano - caiu de 4,70% para 4,60%. Quatro semanas antes, o mercado esperava expansão do Produto Interno Bruto (PIB) de 4,50%. Para 2009, a mediana foi mantida em 4%, mesmo patamar registrado quatro semanas antes. Para o ritmo de crescimento da indústria, no entanto, a previsão de crescimento foi melhorada, e subiu de 5,40% para 5,50% no cenário para 2008. Quatro semanas antes, a expectativa era de 5,14%. Para 2009, analistas mantiveram pela 14ª semana consecutiva a previsão de expansão de 4,50% para a atividade industrial. Em relação ao dólar, a projeção foi mantida em R$ 1,75 para o final de 2008 e passou de R$ 1,85 para R$ 1,82 para o fim de 2009. Contas externas devem piorar O relatório Focus apresentou ainda nova deterioração para as projeções das contas externas. A expectativa de déficit em conta corrente (balança comercial, serviços e transferências) em 2008 aumentou de US$ 16 bilhões para US$ 16,50 bilhões, na 21ª piora seguida. Um mês antes, a expectativa era de resultado negativo de US$ 9,75 bilhões. Para 2009, a previsão para o saldo negativo aumentou de US$ 20 bilhões para US$ 22 bilhões. Há quatro semanas, a expectativa estava em US$ 13 bilhões. Esta piora do resultado das contas externas é puxada pelo desempenho da balança comercial. As projeções para o saldo do comércio exterior caíram de US$ 25,30 bilhões para US$ 25 bilhões. Um mês antes, estava em US$ 28,77 bilhões. Para 2009, a aposta para o superávit comercial caiu de US$ 19,50 bilhões para US$ 19,36 bilhões. Há quatro semanas, estava em US$ 23 bilhões. Com relação ao ingresso de Investimento Estrangeiro Direto (IED), o mercado manteve a expectativa de que devem entrar US$ 30 bilhões em 2008 e US$ 27 bilhões em 2009. Há quatro semanas, os números eram, respectivamente, de US$ 30 bilhões e US$ 25 bilhões, respectivamente.

Tudo o que sabemos sobre:
FocusInflação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.