Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Mercado eleva previsão de Selic em 2010 pela quarta semana

Cenário para inflação no próximo ano sobe para 10,5%; projeção para o PIB em 2009 é revista para alta de 0,12%

REUTERS

19 de outubro de 2009 | 09h04

O mercado elevou pela quarta semana seguida sua previsão para a taxa básica de juro no final de 2010, segundo relatório Focus divulgado nesta segunda-feira, 19. Os prognósticos para o crescimento e para a inflação neste ano e no próximo ficaram praticamente estáveis. O cenário para a taxa Selic em 2010 subiu para 10,5%, ante 10,25% na semana anterior. Para este ano, ele foi mantido em 8,75%.

 

Veja também:

especialUm ano após auge da crise, economia se recupera

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialDicionário da crise 

especialComo o mundo reage à crise 

A previsão para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2009 foi revista de alta de 0,1% na semana anterior para expansão de 0,12%. O prognóstico para 2010 permaneceu em 4,8%.

Para a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deste ano, o mercado prevê taxa de 4,3%, ante 4,29% na semana anterior. O prognóstico para a inflação no ano que vem passou de 4,4% antes para 4,41% agora. Os dois números do IPCA estão abaixo do centro da meta do governo, de 4,5%.

Para a taxa de câmbio no fim de 2009, a previsão passou para R$ 1,70, ante R$ 1,76 na semana anterior, enquanto para 2010 o cenário passou para R$ 1,75 ante R$ 1,80.

 

O mercado financeiro aumentou expressivamente a previsão de déficit em conta corrente em 2010.

A estimativa de saldo negativo nas contas externas no próximo ano saltou de US$ 25 bilhões para US$ 30 bilhões. Há quatro semanas, o mercado esperava déficit de US$ 22,8 bilhões. Para 2009, a previsão de resultado negativo das contas externas também subiu, passando de US$ 15,8 bilhões para US$ 16,4 bilhões. Quatro semanas antes, a estimativa estava em US$ 15 bilhões.

 

A previsão de superávit comercial em 2010 caiu de US$ 17,3 bilhões para US$ 16,5 bilhões. Já a estimativa de saldo comercial em 2009 caiu de US$ 25,85 bilhões para US$ 25,65 bilhões, ante exatos US$ 25 bilhões de um mês atrás.

 

Por fim, a mediana das expectativas para a entrada de Investimento Estrangeiro Direto (IED) em 2010 subiu de US$ 31 bilhões para US$ 32 bilhões. Para 2009, a estimativa permaneceu em US$ 25 bilhões pela 16ª pesquisa seguida. 

 

(Com Agência Estado)

Tudo o que sabemos sobre:
BACENFOCUSinflação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.