Mercado eleva previsões sobre inflação, mostra pesquisa

As instituições financeiras ouvidas em pesquisa semanal do Banco Central (BC) elevaram suas projeções de IPCA em 2004 de 6,61% para 6,79%. O aumento deixou as previsões ainda mais distantes dos 5,5% do centro da meta de inflação do ano em curso e também dos 6,2% previstos pelo mercado às vésperas da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) de maio.Para 2005, as expectativas de IPCA subiram de 5,46% para 5,50%, ante um centro da meta de 4,5%. As estimativas de IPCA em 12 meses à frente, por sua vez, avançaram de 5,98% para 6,17%, enquanto a trajetória das metas indica que o porcentual deveria estar em torno de 5%.A pesquisa do BC registrou ainda um aumento das previsões de IPCA para o corrente mês, de 0,56% para 0,63%, e para julho, de 0,76% para 0,82%. As projeções de reajuste dos preços administrados neste ano, por sua vez, subiram de 7,50% para 7,55%, enquanto as previsões para 2005 ficaram estáveis em 6%. Juros As projeções de mercado para a taxa de juros no final do ano (Selic) aumentaram de 14,75% para 15% ao ano em pesquisa semanal do BC. Com isso, o espaço para a queda das taxas nos próximos meses do ano foi reduzido de 1,25 ponto porcentual para apenas 1 ponto. As previsões de taxa média de juros, por sua vez, subiram de 15,70% para 15,73% ao ano.Para o fim de 2005, as estimativas de juros foram elevadas de 13,25% para 13,50%, preservando, com isso, uma previsão de redução da Selic em 1,5 ponto porcentual no próximo ano. As previsões de taxa média para 2005, por sua vez, subiram de 13,80% para 14% ao ano.Para o fim de julho, as projeções de taxa de juros continuaram estáveis em 16% ao ano, embutindo uma perspectiva de manutenção da taxa Selic na próxima reunião do Copom.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.