Mercado em compasso de espera

As taxas de juros voltaram a recuar hoje no mercado monetário, motivadas pela expectativa de que o banco central norte-americano (FED) anuncie amanhã a decisão de manter a taxa de juros estável. A tranqüilidade em Nova Iorque afastou esta manhã as especulações de que o FED promoveria nova alta na taxa. O que anima o mercado local é que, confirmada a aposta de juros estáveis nos EUA, há espaço para um novo corte na taxa de juros básica - Selic. Títulos de swap, com base em 252 dias úteis, pagavam taxas de 18,28% ao ano, no final da manhã. Já o mercado de câmbio registrou poucos negócios e poucas oscilações nas cotações. No final da manhã, o dólar comercial era negociado na mínima do dia a R$ 1,8230, estável em relação ao fechamento de ontem. Na máxima do período, a moeda norte-americana chegou a R$ 1,8290. Bovespa continua influenciada pela queda das ações da Telesp A corrida dos investidores para se desfazerem das ações de Telesp e Tele Sudeste Celular que ainda mantêm em suas carteiras ditou mais uma vez o tom do pregão da Bolsa de Valores de São Paulo nesta terça-feira. Em razão do fim do prazo para a troca destes ativos pelos Brazilian Deposity Receipts (BDRs) da Telefónica de Espanha, na sexta-feira. As ações preferenciais (PN, sem direito a voto) da Telesp PN recuaram 12,77% e as ordinárias (ON, com direito a voto) caíram 5,92%. Em razão da forte queda dessas ações, a Bovespa operou durante quase toda a manhã em queda e, no início da tarde, registrava queda de 0,98%. A Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas norte-americanas do setor de tecnologia - registrava queda de 0,35% há pouco. O Dow Jones - índice que mede a valorização das empresas mais negociadas em Nova Iorque - operava em alta de 0,42%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.