Mercado encerra a semana em festa

O crescimento da economia e a declaração do ministro da Fazenda, Antonio Palocci, de que enviará em 2005 o projeto de autonomia do Banco Central, deixaram o mercado financeiro eufórico nesta sexta-feira. A bolsa fechou em alta de 1,73%, nos 22.447,1 pontos, com giro de R$ 1,458 bilhão. O resultado fez o Ibovespa voltar a ter valorização no acumulado do ano, de 0,95%. Em Nova York, o índice Dow Jones caiu 0,23% e o Nasdaq recuou 1,55%.O dólar comercial rompeu os R$ 3,00 durante o pregão, o que não ocorria desde 6 de maio. No fechamento, a moeda norte-americana caiu 0,46%, cotada a R$ 3,001 - mais baixo desde 5 de maio (a R$ 2,9550). Nos últimos 30 dias, o dólar já caiu 4,4%.O risco Brasil também baixo o patamar dos 600 pontos e fechou em queda de 24 pontos, para 584 pontos-base - o menor desde 14 de abril. Entre os títulos da dívida mais negociados, o C-Bond subiu 1,67% ao fechar cotado a 95,25 centavos de dólar. O mercado de juros fechou a semana com DIs em leve queda em relação ao fechamento de ontem. Os contratos futuros para janeiro ficaram em 16,28%, contra 16,35% na quinta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.