Mercado espera definição de juros

O mercado recebeu muito bem os últimos números da economia norte-americana. Nessa semana, sai um dos indicadores mais importantes da economia dos Estados Unidos, o Índice de Preços ao Consumidor (CPI), que será divulgado na sexta-feira. Caso o indicador seja positivo, ou seja, indicar desaceleração da economia dos Estados Unidos, será mais um sinal de que o banco central norte-americano (FED) acertou a mão na alta de juros para conter pressões inflacionárias.Alguns analistas já acreditam que os juros norte-americanos não serão elevados novamente na próxima reunião do FED, que está marcada para o final de junho. Eles esperam que o banco central americano adote a suspensão das altas de juros durante um período, enquanto se avalia se a economia está em desaquecimento. Hoje os juros nos EUA estão em 6,5% ao ano. O mercado de juros no Brasil aguarda uma definição mais clara do cenário internacional. A reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) está marcada para os dias 19 e 20 de junho, antes da decisão do FED. Alguns analistas acreditam que existe espaço de sobra para uma queda de juros no Brasil. Isso porque o consumo está contido e não existem fatores que possam pressionar os preços.Ontem a Fipe divulgou o Índice de Preços ao Consumidor (IPC). Nos primeiros cinco meses do ano, a taxa está acumulada em 0,70%. A expectativa da Fipe é que a inflação termine o ano em patamares inferiores a 5%, resultado abaixo da meta de 6% com o Fundo Monetário Internacional (FMI).Veja na seqüência o fechamento do dia no mercado financeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.