Mercado espera inflação de 6,6% em 2002

A percepção sobre os indicadores econômicos do País piorou segundo a pesquisa semanal feita pelo Banco Central com cerca de 100 instituições financeiras e empresas de consultoria. As projeções de mercado para o IPCA em 2002 aumentaram de 6,51% para 6,6% segundo. As estimativas do IPCA para 2003 subiram, na mesma pesquisa, de 5% para 5,2%. As projeções para o IPCA de setembro aumentaram de 0,43% para 0,45% e as estimativas para outubro ficaram estáveis em 0,4%.As projeções de mercado para o PIB em 2002 recuaram de 1,49% para 1,43%. As estimativas de crescimento do PIB em 2003 ficaram estáveis, na mesma pesquisa, em 3%. O mercado também espera uma taxa de câmbio em 2002 maior. Segundo a pesquisa, as projeções de mercado para a taxa de câmbio em 2002 subiram de R$ 2,80 para R$ 2,86. As estimativas para a taxa de câmbio no fim de 2003 ficaram estáveis em R$ 3,00. As projeções para a taxa Selic no fim de 2002 e de 2003 ficaram inalteradas em 17% e 15%, respectivamente. Segundo a pesquisa, as projeções para investimento direto em 2002 caíram de US$ 16,5 bilhões para US$ 16,2 bilhões na pesquisa semanal feita pelo Banco Central. As projeções de investimento direto para 2003 recuaram, na mesma pesquisa, de US$ 17 bilhões para US$ 16 bilhões.Boa notícia na projeçãos de mercado para superávit da balança comercial em 2003 que aumentou de US$ 8,7 bilhões para US$ 8,8 bilhões. As projeções de superávit da balança em 2002 ficaram estáveis nos mesmos US$ 7 bilhões da pesquisa anterior. O mercado espera também uma queda no déficit em conta corrente em 2002 de US$ 18 bilhões para US$ 17,3 bilhões. Para o déficit em conta corrente para 2003 queda de US$ 17 bilhões para US$ 15,9 bilhões.As projeções de mercado para déficit nominal, sem câmbio, do setor público para 2003 caíram de 3,20% do PIB para 3,08% do PIB. O déficit nominal sem câmbio em 2002 ficou estáveis em 3,5% do PIB. As estimativas de superávit primário do setor público para 2002 e 2003 também ficaram inalteradas em 3,75% para ambos os anos.Para investimentos diretos no país o mercado espera uma queda de US$ 16,5 bilhões para US$ 16,2 bilhões. Para investimento direto para 2003, as expectativas recuaram de US$ 17 bilhões para US$ 16 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.