Mercado espera mais inflação e crescimento menor em 2011

A poucos dias do final do ano, pesquisa realizada pelo Banco Central mostra que pessimismo aumentou entre os analistas

Eduardo Rodrigues, da Agência Estado,

26 de dezembro de 2011 | 08h56

A expectativa dos analistas para a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) - índice oficial - para 2012 caiu de 5,39% para 5,33%, de acordo com a pesquisa Focus divulgada nessa segunda-feira, 26, pelo Banco Central. Essa foi a quarta semana consecutiva de queda nas projeções dos analistas. Já para 2011 a estimativa para o índice oficial de inflação voltou a crescer, passando de 6,52% para 6,54%. Em dezembro, a estimativa avançou de 0,53% para 0,54%.

Apesar do teto da meta de inflação ser 6,5%, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, considera que patamares inferiores a 6,55% deverá ser arredondados para baixo.

Ainda segunda a pesquisa Focus, a taxa Selic no fim de 2012 deverá ser de 9,5%, como previsto na semana anterior.

Para o crescimento do PIB em 2012, a projeção se manteve em 3,40%. Para 2011, porém, os analistas reduziram sua estimativa de crescimento de 2,92% para 2,90%.

A projeção de crescimento para a produção industrial em 2012 recuou de 3,46% para 3,43%, enquanto para 2011 a estimativa se manteve em 0,82%.

Projeções

A estimativa de mercado para a relação dívida/PIB em 2012 caiu de 38,00% para 37,50%, de acordo com dados da pesquisa. Para 2011, a previsão se manteve em 38,50%. Já a projeção para o déficit em conta corrente de 2012 passou de US$ 68 bilhões para US$ 68,30 bilhões. Para 2011, a estimativa de déficit recuou de US$ 54 bilhões para 53 bilhões.

Para a balança comercial, a expectativa de 2012 melhorou, de US$ 17,95 bilhões para US$ 18,28 bilhões. Para 2011, a estimativa se manteve em US$ 29 bilhões.

Da mesma forma, a projeção de entrada de Investimentos Estrangeiros Diretos (IED) em 2012 aumentou, de US$ 54,5 bilhões para US$ 55 bilhões. Em 2011, a estimativa segue em US$ 60,20 bilhões.

Segundo a Focus, o câmbio médio previsto para 2012 continuou em R$ 1,78, sendo R$ 1,75 no fim do período. Já para 2011, a estimativa para o dólar médio passou de R$ 1,66 para R$ 1,67. A projeção para o câmbio ao fim deste ano subiu de R$ 1,80 para R$ 1,81.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.