Mercado espera pelo resultado do Copom

O resultado da reunião do Comitê de Política Monetário (Copom) é o destaque do mercado hoje, embora ninguém aposte em mudanças na taxa de juros da economia - Selic - , que está em 19% ao ano. Principalmente com a divulgação hoje do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fipe da segunda quadrissemana de fevereiro, que mostrou variação de 0,30%, ficando dentro das estimativas mais elevadas dos analistas. Mesmo com esse consenso em torno da estabilidade do juro hoje, há divergências em relação ao tempo que demorará a ser retomada a trajetória de corte da Selic e isso gera volatilidade nos contratos futuros de juros e câmbio, refletindo-se ligeiramente no mercado à vista de dólar. Por isso, há expectativas de que a oscilação do dólar hoje seja um pouco maior do que nos dois últimos dias. Mas mesmo com as apostas em torno do Copom influenciando os negócios hoje, o fluxo de recursos deve continuar sendo o determinante maior para a cotação do comercial. Nessa variável influenciam o forte volume de vencimentos estimado para este mês que, no entanto, está sendo mais do que compensado pelo apetite dos investidores pelo risco Brasil. Boa parte dos vencimentos tem sido rolada e captações novas são anunciadas com freqüência. Com isso, o equilíbrio entre entradas e saídas de divisas tem sido praticamente uma constante, mas em alguns momentos o mercado é pego de surpresa por uma entrada mais expressiva que faz a variação da moeda norte-americana cair. Ontem, captações feitas no exterior levaram o dólar a registrar recuo de 0,53%. Para hoje, o caminho sinalizado pelas transações feitas no mercado eletrônico da Bolsa de Mercadorias e Futuros para a abertura é de cotações próximas à estabilidade. Agora há pouco, foi anunciado que a operação de venda de ações da Companhia Vale do Rio Doce será liquidada no dia 27 de março. Alguns analistas estimam que essa operação possa trazer aproximadamente US$ 1 bilhão para o Brasil. Vale dizer que as influência do mercado externo hoje não são muito positivas. Na Argentina, o governo não conseguiu acordo com os governadores para reduzir os repasses da União e avançar no ajuste fiscal. Nos EUA as bolsas caíram forte ontem, mas a sinalização para hoje está mais tranquila, Embora as dúvidas sobre balanços continuem rondando o mercado. Números do mercadoHá pouco, o dólar comercial estava sendo cotado a R$ 2,4320 na ponta de venda dos negócios, em alta de 0,37% em relação aos últimos negócios de ontem. Os contratos de swap (troca) de títulos prefixados por pós-fixados com período de um ano pagam juros de 18,93% ao ano, frente a 18,92% ao ano ontem. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera com alta de 0,23%.Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.