''Mercado está mais desaquecido'', diz Abilio

Presidente do conselho de administração do Pão de Açúcar disse que está mais difícil vender este ano

Rodrigo Petry, O Estado de S.Paulo

27 de julho de 2011 | 00h00

Sem comentar a tentativa de fusão com o Carrefour, o presidente do conselho de administração do Grupo Pão de Açúcar, Abilio Diniz, disse ontem, durante uma teleconferência com analistas, que o mercado este ano está "um pouco mais desaquecido" do que em 2010. "Estamos sentindo, ao longo dos meses, mais dificuldade para fazer a venda. Sentimos que o mercado e nossos competidores estão encontrando dificuldade para manter a performance de vendas."

Diniz avaliou, porém, que considera 2011 como um "bom" ano, em termos de venda, principalmente diante do atual momento da atividade econômica. Segundo ele, o "management da companhia" está totalmente focado nos resultados da empresa. "Nada de externo tem afetado a equipe de executivos da companhia", garantiu o empresário.

O vice-presidente executivo de relações corporativas da companhia, Hugo Bethlem, disse que o grupo descarta qualquer "desaceleração maior" nas vendas em 2011 além das já observada até agora diante das medidas macroprudenciais implementadas pelo governo desde o final de 2010. "Não vemos nenhum efeito "macroprudencial" que possa afetar nossa atual tendência de crescimento", disse.

O executivo destacou ainda que a companhia vem discutindo com o governo a atual situação de consumo no País. "Temos dado sinais ao governo de que vá devagar com a "dose" (nas medidas macroprudenciais), porque não se pode esquecer que a maior parte do PIB é gerada internamente. Se, na crise, o mercado interno foi o "salvador", agora não podemos tomar medidas prejudiciais a esse mercado.

Os investimentos totais previstos pela companhia para este ano deverão somar R$ 800 milhões para as operações alimentares e R$ 150 milhões para a Globex - que reúne Ponto Frio, Casas Bahia e Extra Eletro. No segundo semestre, está programada a abertura de cinco hipermercados Extra, dois novos Extra supermercados, três Pão de Açúcar, além dos três Assaí. Segundo Bethlem, a empresa pretende expandir a área de vendas das operações alimentares em 4% este ano.

Duráveis. O diretor financeiro da Globex, Orivaldo Padilha, destacou que a divisão de bens duráveis do Pão de Açúcar retomou o processo de expansão neste segundo trimestre, com o acréscimo de cerca de 1% de área de venda, resultantes da abertura de 9 lojas da Casas Bahia e 3 do Ponto Frio. "Mantivemos nosso guidance de investimentos de R$ 150 milhões para este ano", disse, acrescentando que a companhia manterá os investimentos para abertura de novas lojas nos próximos trimestre.

Entre as prioridades do grupo para este ano, está a conclusão do processo de conversão das bandeiras CompreBem e Sendas para Extra. A empresa também quer acelerar a expansão do Extra Fácil e redesenhar o modelo Assaí no País, sob a direção de um ex-executivo do Atacadão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.