Mercado estável aguarda números dos EUA

A tranqüilidade do cenário interno guiou os negócios na Bolsa de Valores de São Paulo hoje. Os investidores passaram o dia em clima de otimismo em função de algumas boas notícias no cenário interno e decidiram não acompanhar o movimento de baixa das bolsas norte-americanas. A Bovespa encerrou o pregão em alta de 0,78% e volume de negócios na casa de R$ 692 milhões. Já a Nasdaq - bolsa norte americana que negocia as ações de empresas do setor de tecnologia - fechou em queda de 0,36%. O Dow Jones - índice que mede a valorização das empresas mais negociadas em Nova Iorque - registrou queda de 1,32%.A medida anunciada pelo Banco Central (BC) ontem, no final do dia, de redução do compulsório de 55% para 45% sobre os depósitos à vista foi muito bem recebida pelos investidores. A estratégia do BC é fazer com que o volume de crédito ao consumidor aumente e, com isso, as taxas de juros cedam um pouco. Além disso, é muito grande a expectativa de redução da taxa de juros básica - Selic - na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom). Analistas esperam isso ou, pelo menos, um viés de baixa, indicando a tendência de queda na taxa. Com a inflação sob controle e o câmbio apresentando poucas oscilações no Brasil, o Copom fica na dependência do cenário internacional. Amanhã sai o PPI, indicador de inflação no atacado, nos Estados Unidos. O número pode ser mais um sinal de que a economia norte-americana está em ritmo de desaceleração e o mercado espera ansioso por isso. Também contribuíram para um desempenho estável da Bovespa o processo em andamento de troca de ações de Telesp por ações da Telefónica de Espanha. Câmbio e juros fecharam o dia estáveis O dólar hoje fechou o dia cotado acima de R$ 1,8040, registrando uma valorização de 0,45%. A moeda norte-americana abriu o dia em baixa, sendo negociado a R$ 1,7870. A pequena oscilação durante o dia é resultado da expectativa em relação à divulgação do PPI amanhã. As entradas e saídas de dólar ficaram equilibradas e não pressionaram as cotações. Na média do dia, o dólar fechou em R$ 1,7948 na ponta de venda, segundo o Banco Central. Uma queda de 0,49%, em relação ao fechamento de ontem. Este valor é a média dos negócios do dia, e foi inferior ao dólar de fechamento, R$ 1,8040, que representa a média dos últimos negócios. Já no mercado de juros, o swap prefixado de um ano fechou pagando juros de 20,27% ao ano para uma base de 252 dias úteis. Ontem, título com a mesma base de comparação, pagou 20,29% ao ano. A novidade ficou por conta do Tesouro Nacional que preferiu não divulgar hoje o edital de leilão de títulospúblicos para a próxima terça-feira. O cronograma deve sair amanhã. Ainda não está decidido se haverá a retomada de oferta dos títulos prefixados. O Tesouro quer observar o mercado mais um dia, antes de tomar a decisão. Ele acredita que o cenário está mais favorável para a colocação dos prefixados, mas não quer correr riscos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.