Mercado festeja votação de inativo; bolsa dispara e dólar cai

Apesar de a votação sobre a constitucionalidade da taxação previdenciária dos inativos não ter acabado, o mercado financeiro bancou a vitória do governo. Nem mesmo o novo recorde do petróleo, a US$ 47, abalou os investidores. A bolsa disparou 3,26%, para a máxima do dia de 22.779 pontos, com excelente volume negociado de R$ 3,313 bilhões, em parte por causa do exercício de opções sobre o índice na Bolsa e de Ibovespa futuro na BM&F.O dólar comercial voltou a fechar abaixo de R$ 3,00 e em queda pelo quinto dia útil consecutivo. A moeda norte-americana encerrou no menor preço desde 5 de maio, cotado a R$ 2,986, baixa de 0,37%. Os principais títulos da dívida brasileira também subiram. O C-Bond encerrou na cotação máxima de 96,6250, em alta de 0,26%. O Global 40 também fechou no patamar mais alto do dia, cotado a 104,15 centavos de dólar, com valorização de 0,58%. Às 18h20, o risco Brasil caía 14pontos, para 540 pontos base - menor desde 1º de abril.O mercado de juros também comemorou e as taxas futuras recuaram.O DI de janeiro, o mais líquido, bateu a mínima de 16,55%, e fechou com taxa de 16,56%. Ontem, esse contrato, que já havia fechado em baixa, tinha taxa de 16,63%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.