Mercado financeiro aguarda regulamentação de medidas

A semana para o mercado financeiro começará com a expectativa em torno da regulamentação das medidas adotadas na sexta-feira pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), como a unificação do câmbio - foi estabelecido valor único para o dólar norte-americano e o fim das remessas de dinheiro pelas contas do tipo CC-5. Com isso, o CMN eliminou a figura do banco intermediário e as operações ficarão mais visíveis, reduzindo a possibilidade de lavagem de dinheiro, explicou o diretor de Assuntos Internacionais do Banco Central, Alexandre Schwartsman.Com o fim de taxas para o mercado livre e o flutuante de moeda estrangeira, os exportadores agora terão mais tempo para internalizar no País o dinheiro de suas vendas. Nesse período, podem esperar o momento em que a cotação esteja mais favorável para a conversão à moeda brasileira.O diretor do BC explicou que as contas CC-5 dos brasileiros residentes no exterior continuam a existir. "O CMN acabou com as transferências pela conta de um banco. Se a pessoa quiser fazer uma remessa para o exterior, ela vai a um banco e faz um contrato de câmbio com esse banco, que remeterá diretamente o dinheiro para o interessado, reduzindo o processo burocrático", disse.Analistas prevêem que essa liberalização pode facilitar o reingresso no País de recursos que foram mandados para o exterior de forma ilegal, embora o BC mantenha reserva em avaliar a questão. O governo explicou as medidas como um conjunto de normas para garantir estabilidade macroeconômica e a desburocratização, pois haverá redução a um terço nos procedimentos ligados ao mercado de cambio.O Banco Central anunciou as medidas no fechamento dos mercados, no final da tarde da sexta-feira. Mas a diferença de fuso horário com outros países permitiu no final do dia aferir resultados positivos das medidas. Os títulos da dívida brasileira subiram no mercado externo, o risco Brasil caiu e o mercado financeiro prevê alta das bolsas nessa semana. As informações são da Radiobrás.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.