Mercado financeiro do Brasil reage bem aos juros nos EUA

A decisão do Banco Central dos Estados Unidos de manter os juros em 1% ao ano, indicado que alta nas taxas será lenta e gradual, foi bem recebido pelo mercado financeiro brasileiro e norte-americano. A expectativa agora são os indicadores de inflação e emprego que irão ditar os rumos dos juros nos Estados Unidos.O índice Dow Jones da bolsa de Nova York teve discreta alta de 0,3% e a Nasdaq, +0,61%. No Brasil, a bolsa de São Paulo fechou em alta pelo segundo dia, mas abaixo do 20 mil pontos. Fechou em 19.988 pontos, em alta de 1,42%, com volume de R$ 1,176 bilhão. No câmbio o dólar comercial recuou 0,34%, cotado a R$ 2,97, após a forte alta da segunda-feira. Pouco antes do fechamento, o risco Brasil recuava 24 pontos, para 677 pontos. O C-Bond registrou pequena desvalorização de 0,3%, para US$ 0,908. No mercado de juros, os contratos futuros (DIs) começaram a cair com força após a decisão do BC dos EUA. O DI de janeiro/2005, o mais líquido, recuou de 15,70% para 15,66%. Mas, pouco depois de a divulgação do comunicado do Fed ter sido concluída, a taxa voltou a subir e fechou em 15,73%, contra 15,76% de ontem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.