Mercado fraco faz Bovespa acompanhar pessimismo externo

A Bolsa de Valores de São Paulo fechou pelo quinto dia consecutivo em queda, acompanhando o comportamento negativo dos mercados de Nova York, contaminados por dados negativos relacionados à economia norte-americana. Depois de ter aberto em alta pela manhã e ensaiado recuperação de algumas blue-chips, o Ibovespa encerrou o dia em queda de 3,05 por cento, a 36.470 pontos, com volume financeiro de 2,1 bilhões de reais. Dados pessimistas sobre moradias e varejo nos EUA facilitaram a queda do Ibovespa, segundo analistas, que esperam melhora após a posse do presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, em janeiro. "Na verdade, mercado, mercado, não existe mais, existem as operações de quem está no curto prazo e ajuste de posição de carteira de investidores institucionais, pessoas físicas... não tem mais comprador nem vendedor de papel", explicou o diretor da corretora Agora Álvaro Bandeira. "Ano que vem já se começa a pensar no dia 5 o que Obama vai fazer no programa dele, e as coisas podem melhorar", avaliou. O preço do petróleo teve influência nos papéis da Petrobras nesta terça-feira, que atingiram o preço máximo de 22,60 reais para fechar perto da mínima no dia, em 22 reais. A queda do papel foi de 0,63 por cento, tímida em relação à desvalorização do índice e à própria baixa da commodity, que chegou a cair 5,7 por cento. Já a Vale despencou junto com o mercado, cercada de perspectivas ruins para o setor em 2009, encerrando o dia em queda de 3,65 por cento e cotada a 23,21 reais. (Por Denise Luna)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.