seu bolso

E-Investidor: O passo a passo para montar uma reserva de emergência

Mercado já prevê taxa de juro de 10,38%

Seria a menor da história; Focus vê previsão de até um dígito para Selic

Fernando Nakagawa, O Estadao de S.Paulo

26 de fevereiro de 2009 | 00h00

O mercado financeiro está cada vez mais otimista com a expectativa de queda dos juros. Na pesquisa semanal Focus divulgada ontem pelo Banco Central, a previsão para o patamar da taxa Selic no fim de 2009 caiu pela segunda semana seguida, de 10,50% para 10,38% ao ano, o que indica expectativa de corte de 2,37 pontos porcentuais até dezembro. Analistas também reduziram a projeção de crescimento da indústria para apenas 1,30% neste ano. As previsões para o juro têm caído nas últimas semanas com a divulgação de dados pouco animadores sobre a atividade econômica e, ao mesmo tempo, sem novas preocupações com a inflação. No entendimento dos analistas, o BC deve continuar os cortes da taxa para tentar injetar ânimo na economia. Há, inclusive, alguns que já apostam em Selic de apenas um dígito ainda em 2009. Desde o fim de janeiro, analistas já trabalham com a expectativa de que a taxa brasileira deve cair para o menor patamar da história. Em 22 de janeiro, o mercado passou a prever Selic de 11% ao ano no fim de 2009, menor que o juro de 11,25% - o mais baixo até hoje - praticado entre setembro de 2007 e março de 2008. COPOMPara a reunião de março do Comitê de Política Monetária (Copom), que acontece nos dias 9 e 10, o mercado manteve a previsão de corte de um ponto, o que levaria a Selic para 11,75% ao ano. Para as reuniões seguintes, analistas preveem ritmo diferente, com cortes menores. Mas ainda não há consenso se o tamanho dessa redução cairia para 0,75 ponto ou 0,50 ponto. O principal motivo para a expectativa de desaperto monetário continua vindo do setor produtivo. Entre os analistas, a previsão para o crescimento da indústria em 2009 caiu de 1,50% para 1,30%. Esse ritmo esperado é menor que a estimativa de expansão de todo o Produto Interno Bruto (PIB) neste ano, que segue em 1,50%. Na pesquisa, a expectativa para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2009 caiu de 4,69% para 4,66%, se aproximando ainda mais do centro da meta de inflação para o ano, de 4,50%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.