Mercado livre receberá 30% da energia de Jirau

O consórcio Energia Sustentável, vencedor do leilão da usina de Jirau, que será construída no Rio Madeira, decidiu destinar 30% da energia da usina ao mercado livre. Esse é o porcentual máximo que poderia ser destinado a esse segmento. Com base nessa divisão da energia, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), aplicou um fator redutor no cálculo da tarifa, que será cobrado pelo mercado cativo, formado pelas distribuidoras de energia. Assim, a tarifa que será efetivamente cobrada na venda da energia para distribuidoras cairá de R$ 71,40 - o preço da oferta vencedora - para R$ 71,37.Em comunicado distribuído nesta tarde, simultaneamente ao anúncio do vencedor, o grupo Suez, líder do consórcio, informa que tentará antecipar o início das operações da usina de 2013 para março de 2012. "A meta é iniciar a construção o mais rápido possível, logo após a emissão da licença de instalação", diz a nota.O comunicado também informa que, devido a otimizações feitas pelo consórcio em relação ao projeto original, será possível reduzir em R$ 1 bilhão o custo da obra civil. A estimativa do governo é de que a construção de Jirau custará R$ 8,7 bilhões.A Suez também relata que os sócios do consórcio já subscrevam R$ 2,5 bilhões com o capital na sociedade e o restante será viabilizado por meio de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.