Vinicius Stasolla/DonVisual
Vinicius Stasolla/DonVisual

Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Mercado Livre terá quatro aviões para entregas no Brasil a partir da Black Friday

Empresa fechou parceria com companhias aéreas para aeronaves serem utilizadas sete dias por semana

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de novembro de 2020 | 20h00

O Mercado Livre, em parceria com as empresas aéreas Azul, Latam, Sideral e Total, terá, a partir deste mês, quatro aviões dedicados à empresa, sete dias por semana, com o objetivo de agilizar as entregas. A iniciativa, chamada de Meli Air, já estará em funcionamento para a Black Friday 2020, no próximo dia 27. comércio eletrônico aposta em alta nas vendas na data. 

Um dos objetivos da parceria é aumentar a quantidade de produtos na categoria chamada de Full - são as compras entregues de um dia para o outro. Os produtos desse segmento ficam nos centros da distribuição da empresa, localizados em São Paulo e na Bahia

A iniciativa faz parte do investimento previsto pelo Mercado Livre para 2020, de R$ 4 bilhões. O aporte chegou a ser colocado em dúvida pela própria empresa em abril deste ano, no início dos efeitos econômicos da pandemia de covid-19

Para Entender

Black Friday 2020: tudo o que você precisa saber

Maior campanha de vendas promocionais no comércio eletrônico e varejo físico do Brasil será no dia 27 de novembro

No balando do terceiro trimestre, divulgado nesta semana, a empresa registrou lucro líquido de US$ 15,035 milhões, ante prejuízo de US$ 146 milhões visto um ano antes. A receita líquida foi de US$ 1,11 bilhão no terceiro trimestre, crescimento de 85% sobre o resultado apresentado mesmo período do no ano passado. 

De acordo com a companhia, o número de usuários na plataforma ultrapassou 76 milhões. De julho a setembro, foram vendidos mais de 205 milhões de itens e mais de 300 milhões de anúncios foram postados na plataforma. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.