Mercado mantém cautela com crise na Europa e Ibovespa cai

O principal índice das ações brasileiras fechou em queda nesta sexta-feira, com volume fraco, em sintonia com a cautela internacional sobre a crise da dívida na Europa.

REUTERS

24 de junho de 2011 | 17h56

O Ibovespa terminou em baixa de 0,29 por cento, a 61.016 pontos. O giro do pregão foi de 4,2 bilhões de reais, abaixo da média de 6,5 bilhões de reais neste ano.

Nos Estados Unidos, os índices Dow Jones e Standard & Poor's 500 recuaram cerca de 1 por cento, afetados pela preocupação do mercado com o trâmite do pacote de austeridade fiscal da Grécia no Parlamento na semana que vem.

"Se forem aprovados os novos planos fiscais e de venda de ativos do programa de privatizações deles, pode ser que a bolsa tenha um ânimo de curto prazo", disse Cauê Pinheiro, analista da corretora SLW.

Nesta semana, o Ibovespa ficou praticamente estável, com variação negativa de 0,07 por cento.

Entre as ações de maior liquidez, o comportamento foi díspar. Vale PNA, que anunciou na quarta-feira que pretende lançar uma oferta pública de aquisição (OPA) estimada em 2,2 bilhões de reais para fechar o capital de sua unidade de fertilizantes, teve alta de 0,57 por cento, a 44,10 reais.

Petrobras PN, porém, caiu 1,68 por cento, a 22,87 reais, afetada pela forte queda do petróleo na quinta-feira por causa da liberação de reservas por parte de países consumidores, como os Estados Unidos.

Ações de companhias aéreas se beneficiaram da queda do petróleo. Gol subiu 4,42 por cento, a 18,43 reais, e TAM avançou 2,58 por cento, a 33,02 reais.

(Por Silvio Cascione)

Tudo o que sabemos sobre:
BOVESPAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.