Mercado mantém projeção para juros e câmbio

O mercado brasileiro manteve suas projeções para a variação da taxa Selic em 2002 e 2003 inalteradas. Mesmo depois de o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central ter reduzido em 0,5 ponto porcentual a meta da taxa Selic, o mercado manteve em 17% sua estimativa para a variação acumulada da taxa em 2002 e em 15% para 2003. A pesquisa semanal feita pelo BC com as instituições financeiras mostra ainda que também ficaram inalteradas as projeções para a taxa de câmbio para o final deste ano (R$ 2,60) e de 2003 (R$ 2,69). Pelo lado fiscal, também não há novidades. O mercado continua projetando um superávit primário de 3,75% do PIB para as contas do setor público neste ano e de 3,50% do PIB para 2003. As projeções para o déficit nominal destas contas também continuam os mesmos: 3,50% do PIB para este ano e 3% do PIB para 2003.O mercado financeiro brasileiro reduziu em US$ 240 milhões sua projeção média para o déficit em transações correntes de 2002. De acordo com pesquisa semanal feita pelo Banco Central, a projeção agora é de um déficit de US$ 20,06 bilhões e não mais US$ 20,30 bilhões, como estava estimado na pesquisa anterior. Houve, entretanto, um incremento de US$ 100 milhões na projeção para o déficit em transações correntes de 2003. Agora, a estimativa é de um déficit no valor de US$ 20,20 bilhões para o próximo ano. Ao mesmo tempo em que o mercado reduziu a estimativa de déficit em conta corrente para este ano, as instituições também reavaliaram, para baixo, suas expectativas quanto ao ingresso de investimentos estrangeiros diretos em 2002. Pela pesquisa, a estimativa média do mercado é de um ingresso de US$ 17,15 bilhões, neste ano, desse tipo de investimento. Essa projeção é US$ 150 milhões inferior à apurada na pesquisa anterior. Para 2003 ficou mantida a estimativa antiga, ou seja, um ingresso de US$ 18 bilhões em investimentos estrangeiros diretos. Houve uma pequena elevação em relação ao superávit projetado para a balança comercial deste ano. A estimativa agora é de um saldo positivo no valor de US$ 4,60 bilhões, e não mais US$ 4,50 bilhões com estimado até na semana retrasada.Para 2003 a projeção também sofreu um incremento. O mercado estima agora que a balança comercial fechará o próximo ano com um superávit de US$ 5,20 bilhões, e não US$ 5 bilhões, com vinha sendo projetado.

Agencia Estado,

22 de julho de 2002 | 13h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.