Clayton de Souza/Estadão
Clayton de Souza/Estadão

Mercado melhora previsão para o PIB e volta a projetar dólar mais baixo

Para analistas, retração da atividade econômica deve ser de 3,30% ao final de 2016; inflação também deve ser menor

Eduardo Rodrigues, O Estado de S. Paulo

11 Julho 2016 | 09h46

BRASÍLIA - Depois da equipe econômica projetar déficit de R$ 139 bilhões nas contas públicas, o Relatório de Mercado Focus divulgado nesta segunda-feira, 11, pelo Banco Central voltou a mostrar um pequeno alívio para o Produto Interno Bruto (PIB) deste ano. Pelo documento, a projeção passou de -3,35% para -3,30% - um mês atrás estava em -3,60%. 

Para 2017, a mediana das previsões do mercado ficou novamente estacionada em +1,00% de um levantamento para o outro. Quatro semanas atrás, a pesquisa já apontava alta de 1,00%.

Outro item que mais uma vez sofreu grandes mudanças nas projeções foi a cotação da moeda norte-americana. Para os analistas, o dólar estará em R$ 3,40 no encerramento de 2016 ante R$ 3,46 do levantamento anterior - um mês atrás, estava em R$ 3,65. Com isso, o câmbio médio de 2016 passou de R$ 3,51 para R$ 3,47 - um mês antes, estava em R$ 3,65.

Para 2017, a mediana recuou de R$ 3,70 para R$ 3,55 de uma divulgação para a outra - quatro semanas atrás estava em R$ 3,81. Já o câmbio médio do ano que vem caiu de R$ 3,61 para R$ 3,53 de um levantamento para o outro - estava em R$ 3,81 um mês atrás. 

Inflação. A mediana das estimativas de inflação caiu pela segunda semana consecutiva. Para 2016, a projeção de IPCA recuou de 7,27% para 7,26%. Para 2017, ano em que a autoridade monetária promete entregar a inflação o mais próximo possível do centro da meta de 4,5%, a estimativa do mercado passou de 5,43% para 5,40%. 

No último Relatório Trimestral de Inflação, o BC informou que projeta inflação de 4,7% para 2017 no cenário de referência e de 5,5% pelo de mercado. Já no caso de 2016, as estimativas são de, respectivamente, 6,9% e 7,00%. 

Entre as instituições que mais se aproximam do resultado efetivo do índice no médio prazo, denominadas Top 5, as medianas das projeções para este ano continuaram em 7,18%. Para 2017, no entanto, subiram de 5,30% para 5,39%. Quatro semanas atrás, as expectativas eram de, respectivamente, 7,15% e 5,30%.

As projeções do mercado para a taxa básica de juros continuam praticamente sem se mexer. As previsões para a Selic no fim de 2016 continuam em 13,25% ao ano e para 2017, em 11,00% aa. Mas, para o grupo dos analistas consultados que mais acertam as projeções, a taxa - que atualmente está em 14,25% ao ano - deverá ter uma queda menor à frente. 

Um mês atrás, o boletim apontava a Selic em 13,00% para o encerramento de 2016 e em 11,25% para o fim de 2017. 

Mais conteúdo sobre:
Pib Inflação Dólar Mercado

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.