Estadão
Estadão

Mercado melhora projeção de queda do PIB este ano, mas vê crescimento menor em 2017

Estimativa para o PIB no ano que vem é de alta de apenas 0,80%, o menor porcentual projetado desde 1º de junho deste ano, pouco mais de duas semanas após a posse de Temer

Fabrício de Castro, Broadcast

05 de dezembro de 2016 | 09h37

BRASÍLIA - O Relatório de Mercado Focus desta semana trouxe mudanças nas projeções de atividade. Pelo documento divulgado nesta segunda-feira, 5, as estimativas para o Produto Interno Bruto (PIB) este ano passaram de retração de 3,49% para queda de 3,43%. Esta estimativa interrompe uma sequência de oito semanas consecutivas em que as projeções para o PIB só pioraram. Há um mês, a perspectiva era de recuo de 3,31%. 

 

Na última quarta-feira, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o PIB no terceiro trimestre recuou 0,8% ante o segundo trimestre e cedeu 2,9% ante o terceiro trimestre do ano passado. Foi a sétima queda consecutiva do PIB brasileiro. Em uma reação aos números, muitos economistas citaram a perspectiva de que a economia brasileira volte a crescer apenas a partir de 2017.

A abertura dos dados do Relatório de Mercado Focus mostra que a estimativa para o PIB no ano que vem é de alta de apenas 0,80% - o menor porcentual projetado desde 1º de junho deste ano, pouco mais de duas semanas após a posse de Temer como presidente interino.

 

Com a chegada do peemedebista ao Planalto, as estimativas chegaram a apontar, em meados de setembro, um crescimento de até 1,38% para o PIB em 2017. Foi o momento de maior otimismo com o novo governo, o que fez, inclusive, o Ministério da Fazenda projetar um avanço de 1,6% para a economia no ano que vem. 

Recentemente, no entanto, as projeções pioraram. Já são sete semanas consecutivas em que os economistas reduzem a estimativa de alta para o PIB de 2017. Além disso, o próprio Ministério da Fazenda voltou atrás e passou a estimar um crescimento de apenas 1% - ainda acima do 0,80% calculado pelo mercado.

Na última sexta-feira, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que a produção industrial em outubro caiu 1,1% ante setembro e desabou 7,3% em relação a outubro do ano passado. 

Após o Comitê de Política Monetária (Copom) cortar a Selic de 14,00% para 13,75% ao ano na semana passada, os economistas do mercado financeiro alteraram a expectativa para a taxa básica no fim de 2017. O Relatório de Mercado Focus trouxe hoje que a mediana das previsões para a Selic no final do próximo ano passou de 10,75% para 10,50% ao ano. Há um mês, estava em 10,75%.   

 

Já influenciados pela reunião da semana passada, os economistas mudaram levemente suas projeções para a inflação neste ano. O Relatório de Mercado Focus, mostra que a mediana para o IPCA - o índice oficial de inflação - em 2016 foi de 6,72% para 6,69%. Há um mês, estava em 6,88%. Já o índice para o ano que vem permaneceu em 4,93%. Há quatro semanas, apontava 4,94%.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.