Mercado otimista com FMI, mas cauteloso com EUA

As expectativas de que o Brasil está em negociações avançadas junto ao Fundo Monetário Internacional (FMI) para fechar um acordo que garanta uma transição política tranqüila animaram os mercados ontem e devem continuar como destaque na pauta das mesas de operações hoje. A imprensa tenta chegar aos detalhes de como seria esse acordo e o mercado deve dar continuidade a essas especulações, mantendo o assunto no centro das atenções. E a conseqüência deve ser novos reajustes da cotações, mas sem a força de ontem. "As informações que temos até agora foram colocadas no preço de ontem, para novos recuos importantes são necessárias notícias novas sobre o acordo", explica um especialista. Às 10h02, o dólar comercial para venda estava sendo cotado a R$ 2,8600, em alta de 0,32% em relação ao fechamento de ontem. No mercado de juros, os contratos de DI futuro com vencimento em janeiro de 2003, negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), pagavam taxas de 21,300% ao ano, frente a 21,200% ao ano negociados ontem. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) operava estável.O mercado externo pode atrapalhar o otimismo que os negócios brasileiros mostraram ontem. Novos escândalos envolvendo empresas importantes estão nas manchetes dos jornais nos Estados Unidos. Veja mais informações nos link abaixo.Além disso, gigantes como a Ericsson decepcionam os investidores com prognósticos ruins para o futuro. Sendo assim, o comportamento dos mercados internacionais já é afetado por esse ambiente e a cautela se esboça também no Brasil. O mercado ficará de olho também na divulgação de dados da economia norte-americana. Hoje são anunciados números de inflação, balança comercial e contas do Tesouro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.