Mercado Pago registra crescimento de 89% na América Latina no 1º tri

Mercado Pago registra crescimento de 89% na América Latina no 1º tri

Mesmo com alta menos acelerada do que no começo do ano passado, plataforma de pagamentos online comemora fato de estar ‘na contramão da crise’

Nathália Larghi, O Estado de S.Paulo

12 Junho 2017 | 11h37

SÃO PAULO - O volume de pagamentos feito pelo Mercado Pago aumentou 89% na América Latina durante o primeiro trimestre de 2017. Conhecido por ser o intermediador nas transações feitas no mercadolivre.com, o crescimento registrado entre janeiro e março não levou em conta as compras feitas no site. 

Dentro do resultado estão as transações em e-commerces, no aplicativo e na máquina de cartões Mercado Pago Point. O Brasil foi o país que mais gerou este resultado, seguido por Argentina, México e Chile.  A fintech - nome dados a startups de tecnologia e serviços financeiros - ainda opera na Venezuela, Colômbia e Uruguai.

Leia mais em Negócios

Apesar de não ser o maior crescimento da série - no primeiro trimestre de 2016, por exemplo, a fintech cresceu 128% - os dados são comemorados. Marcelo Coelho, vice-presidente da empresa, explica que a aceleração menor é por conta das variações cambiais que acontecem em cada país. Ele destaca, no entanto, que a fintech está "na contramão da crise", já que segue com crescimento positivo.

O executivo afirma que as explicações para essa alta são as novas tecnologias lançadas pela empresa recentemente, como a 'maquininha' de cartão e o aplicativo, que permite que as pessoas recarreguem os créditos do celular e paguem contas de maneira "mais fácil do que em outros apps", como ele afirma. 

LEIA TAMBÉM: Cresce a procura por consórcio para reforma, viagem e até cirurgia plástica

"O Mercado Pago introduziu novas tecnologias, que são o principal motor de crescimento nesse trimestre. Somos uma empresa de tecnologia e quando você entrega uma tecnologia que resolve um problema do cliente, isso traciona no resultado. É o que acontece conosco", diz.

Outra explicação da empresa para o avanço vem justamente do cenário de recessão no Brasil: durante a crise, muitas pessoas se tornaram pequenos empresários e precisaram usar essas plataformas de transações financeiras na internet. 

Dados da ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico), por exemplo, mostraram que havia uma estimativa de crescimento de 11% nos e-commerces brasileiros em 2016 e de 12% para 2017, quando pode ser atingida a marca de 63 mil lojas virtuais.

Mesmo que o crescimento seja menor que nos anos anteriores - em 2014 houve um aumento de 27% e em 2015, 22% - o número de e-commerces ainda segue aumentando e o Mercado Pago se apresenta como uma solução "simples e eficiente" para os pequenos empreendedores. 

"Esse mercado está em expansão e nele há espaço para todo mundo. Quem for capaz de resolver um problema de forma fácil e com excelência, terá crescimento", diz.

Como funciona. O usuário acessa o site da fintech e se cadastra. Ali, ele coloca seus dados, como os números dos seus cartões de crédito. Dessa forma, é criada uma carteira virtual que pode ser usada em inúmeros sites. Assim, o usuário não precisa cadastrar seus dados várias vezes em diferntes lojas virtuais. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.