Mercado pessimista com avanços de Lula

Rumores de pesquisas eleitorais indicando a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva (PT/PL) já no primeiro turno das eleições provoca pressão sobre as cotações no mercado financeiro. Segundo os boatos, Lula continuaria crescendo e aparece muito próximo de uma vitória já no primeiro turno. Essa não é a opção preferida do mercado, e a reação foi pessimista, podendo agravar-se nos próximos dias se esse resultado se confirmar. Por outro lado, o governo iraquiano aceitou a inspeção do seu arsenal pela Organização das Nações Unidas (ONU), diminuindo a possibilidade de guerra imediata.Pelos rumores de ontem, haveria uma convergência entre os dados do Ibope do Vox Populi, divulgados entre hoje e amanhã. Para vencer já no primeiro turno, Lula precisa de mais de 50% dos votos válidos, ou seja, receber mais votos que todos os seus adversários somados. Isso significa que devem ser descontados os brancos e nulos. Analistas estimam que cerca de 45% nas pesquisas de opinião já garantiriam a vitória.Lula vem mantendo liderança com muita folga desde o início da campanha. Agora, a menos de três semanas das eleições, sua vantagem surpreendeu até mesmo o comitê eleitoral. Ainda podem acontecer muitas coisas, mas os investidores começam a se preocupar com as denúncias contra aliados de José Serra (PSDB/PMDB), o favorito dos mercados, e com a possibilidade de renúncia de um dos demais candidatos, para garantir a vitória de Lula no primeiro turno.No cenário internacional, surgiu um fato positivo. O Iraque aceitou as exigências de George W. Bush e permitirá a entrada irrestrita de inspetores de armas indicados pela ONU. Mas isso não afasta totalmente a guerra. Nada garante que Saddam Hussein não voltará atrás, ou mesmo que os Estados Unidos insistam numa invasão com o desenrolar dos fatos. Ao menos o apoio que o governo norte-americano vem buscando dos países aliados no mundo todo fica mais difícil se o regime iraquiano cumprir as resoluções do Conselho de Segurança da ONU. Os investidores devem manter-se cautelosos nos próximos dias, pois a situação ainda é muito incerta.MercadosO dólar comercial foi vendido a R$ 3,2160 nos últimos negócios do dia, em alta de 1,74% em relação às últimas operações de sexta-feira. No mercado de juros, os contratos de DI futuro com vencimento em janeiro de 2003 negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros pagam taxas de 20,910% ao ano, frente a 20,970% ao ano sexta-feira. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em queda de 3,43% em 9831 pontos. Em Nova York, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - fechou em alta de 0,81% (a 8380,2 pontos), e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - caiu 1,20% (a 1275,88 pontos). O euro fechou a US$ 0,9690; uma queda de 0,29%. Na Argentina, o índice Merval, da Bolsa de Valores de Buenos Aires, fechou em baixa de 0,42% (385,77 pontos). Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.