Mercado piora projeções para PIB e inflação

As projeções do mercado financeiro com relação ao comportamento da economia este ano estão, cada vez mais, refletindo a falta de perspectivas mínimas quanto a uma melhora no cenário internacional. Instituições consultadas pelo Banco Central reduziram de 2% para 1,93% a projeção média para o crescimento do PIB em 2002. A consulta, feita no final da semana passada, revela ainda que houve uma piora em relação a estimativa de inflação e ao fluxo de investimentos estrangeiros diretos para este ano.A baixa atividade econômica registrada no País até agora acabou forçando o mercado financeiro a reduzir a projeção média para o crescimento do PIB este ano. Até poucos dias atrás, o mercado vinha no mesmo compasso do governo, apostando que mesmo com o cenário mais retraído, ainda assim seria possível à economia brasileira crescer, pelo menos, 2% este ano.Na sexta-feira, entretanto, o mercado acabou se entregando aos fatos, e reduziu para 1,93% a estimativa de crescimento do PIB em 2002. Para o próximo ano, as instituições consultadas pelo BC mantiveram em 3,50% a estimativa de crescimento econômico.As perspectivas, nada favoráveis, com relação à liquidez do mercado financeiro internacional também levaram o mercado a reduzir mais uma vez a projeção para o fluxo de investimentos estrangeiros diretos para 2002. As instituições consultadas pelo BC estimam que entrarão no País este ano, sob essa forma de investimento, US$ 17 bilhões. Essa projeção é US$ 150 milhões inferior à estimativa apurada na pesquisa anterior (US$ 17,15 bilhões). Para 2003, ficou mantida a projeção de um ingresso de US$ 18 bilhões.Em relação ao déficit em transações correntes, o mercado fez uma pequena redução na projeção para o resultado de 2002 passando de uma estimativa de um saldo negativo de US$ 20,06 bilhões para US$ 20 bilhões. Para 2003 a projeção ficou mantida em US$ 20,20 bilhões.Em relação ao dólar, apesar da moeda norte-americana estar sendo negociada desde a semana passada acima de R$ 3, o mercado financeiro ainda mantém a estimativa de que essa moeda fechará 2002 cotada a R$ 2,60. Para 2003, os agentes consultados pelo BC fizeram uma pequena elevação. A projeção agora é de uma cotação de R$ 2,70 por dólar ao final de 2003 ante R$ 2,69 projetado anteriormente.Pela quinta semana consecutiva, o mercado elevou mais uma vez sua projeção para o comportamento da inflação este ano. As instituições consultadas estão projetando uma variação de 5,96% para o IPCA este ano. Na última pesquisa, a projeção era de 5,84%. Apesar dessa subida, o mercado reduziu de 4,38% para 4,35% a estimativa média para o comportamento da inflação em 2003.Ficaram inalteradas as projeções para a taxa Selic este ano (17%) e para o próximo (15%). Pelo lado fiscal, também não houve alterações em relação à projeção para o superávit primário das contas públicas de 2002 (3,75% do PIB) e de 2003 (3,5% do PIB). Houve, no entanto, uma elevação de 0,04 ponto porcentual para a estimativa de déficit nominal das contas públicas em 2002, que passou de 3,5% do PIB para 3,54% do PIB. Para 2003 ficou mantida a projeção anterior de 3,5% do PIB.Pelo lado comercial, ficou mantida em US$ 4,60 bilhões a projeção de superávit da balança comercial em 2002. Houve uma elevação, entretanto, para a estimativa com relação ao saldo comercial de 2003, que passou de US$ 5,2 bilhões para US$ 5,5 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.