Mercado prevê inflação em alta e nova elevação de juros

Previsão para o IPCA passou de 4,71% para 4,79%; já a Selic foi ajustada para cima em 0,25 ponto porcentual

Fernando Nakagawa, da Agência Estado,

28 de abril de 2008 | 09h14

A projeção para a inflação de 2008 pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) permanece acima do centro da meta definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). No relatório semanal Focus divulgado nesta segunda-feira, 28, pelo Banco Central, a previsão para o IPCA, que é o índice oficial de inflação no País, passou de 4,71% para 4,79%. O centro da meta de inflação é de 4,50%. Para a taxa básica de juros, a Selic, o mercado financeiro fez um ajuste para cima, de 0,25 ponto porcentual. A estimativa para o final deste ano passou de 12,75% para 13% ao ano.   Veja também:   BC destaca risco de inflação e pode continuar a subir juros Alimentos triplicam alta e IPCA-15 mais que dobra em abril Entenda a crise dos alimentos no mundo  Entenda os principais índices de inflação    Na semana passada, o mercado havia mantido a Selic em 12,75% ao ano. Para o fim do ano que vem, o mercado projeta a Selic em 11,34% ao ano, ante 11,25% da projeção da semana passada. A taxa Selic está atualmente em 11,75% ao ano.Para 2009, a projeção do IPCA ficou estável em 4,40% e abaixo do objetivo central - a meta de inflação de 2009 perseguida pelo BC também é de 4,50%. Já a previsão para a taxa de câmbio, no final deste ano, ficou em R$ 1,75 por dólar, igual à da semana anterior. Para o final de 2009, a projeção de câmbio está em R$ 1,85 por dólar.Nos números referentes ao crescimento da economia brasileira, o mercado financeiro manteve a projeção de expansão do Produto Interno Bruto (PIB) em 2008 em 4,6%. Para o ano que vem, a previsão de crescimento do PIB é de 4%, estável em relação à taxa prevista na semana passada. Em relação à produção industrial, o mercado manteve a previsão de expansão de 5,5% este ano. A previsão para a produção industrial em 2009 é de aumento de 4,5%.   O mercado financeiro manteve suas projeções para o indicador que mede a proporção entre a dívida líquida do setor público e o PIB. Para 2008, a mediana das expectativas manteve-se em 41,45% do PIB. Para 2009, a mediana permaneceu em 39,80%. Um mês antes, o mercado esperava 41,60% e 40,10%, respectivamente.   A pesquisa Focus reúne as projeções de cerca de 100 instituições financeiras para os principais indicadores econômicos. Contas externas Quanto à balança comercial brasileira, a previsão dos economistas dos bancos é de um superávit de US$ 25 bilhões em 2008, a mesma projeção da semana passada. Já a previsão do superávit comercial de 2009 caiu de US$ 19,36 bilhões para US$ 17,5 bilhões.Para a conta corrente (saldo de todas as transações do País com o exterior), a pesquisa de mercado Focus mostrou projeção de déficit este ano de US$ 16,6 bilhões (estava em US$ 16,5 bilhões na semana passada). A previsão para o saldo da conta corrente em 2009 é de um déficit bem maior, de US$ 22 bilhões.A previsão para o ingresso de investimento estrangeiro direto (IED) em 2008 permaneceu em US$ 30 bilhões. Mas para 2009, a projeção do ingresso de recursos externos no País, de investimento direto (produtivo), subiu de US$ 27 bilhões para US$ 28,5 bilhões.

Tudo o que sabemos sobre:
IPCASelicFocusPIB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.