Covid-19

Bill Gates tem um plano para levar a cura do coronavírus ao mundo todo

Mercado prevê Selic de um dígito e PIB abaixo de 1%

Depois do decepcionante número do Produto Interno Bruto (PIB) do último trimestre de 2008, que mostrou retração de 3,6% ante o trimestre imediatamente anterior, o mercado financeiro reduziu as projeções para o desempenho da economia este ano.

FABIO GRANER, Agencia Estado

16 de março de 2009 | 09h38

De acordo com a pesquisa Focus, divulgada esta manhã pelo Banco Central, a mediana das estimativas de aproximadamente 80 instituições financeiras para o crescimento do PIB em 2009 passou de 1,20% para abaixo de 1%, a 0,59%. Foi a segunda queda consecutiva nessa projeção, que há um mês estava em 1,50%.

Para 2010, o mercado acredita ainda em retomada do nível de atividade, mantendo a projeção de crescimento em 3,50%.

O mercado também enxerga um ano difícil para a produção industrial brasileira este ano, com a previsão passando de contração de 0,04% para um recuo ainda maior, de 1,59%. Há um mês, os analistas trabalhavam com crescimento de 1,50% para a atividade industrial. Para 2010, o mercado manteve o cenário de alta de 4% na produção industrial.

Juros

Após o Comitê de Política Monetária (Copom) promover um corte de 1,5 ponto porcentual na taxa básica de juros, a Selic, na semana passada, para os atuais 11,25% ao ano, o mercado financeiro reduziu sua estimativa para a Selic no fim deste ano, que passou de 10,25% para 9,75% anuais, de acordo com a pesquisa Focus divulgada esta manhã pelo Banco Central.

Exatamente o mesmo movimento ocorreu para 2010, com os analistas também trabalhando agora com a Selic em 9,75% no fim do último ano do atual governo. A projeção traçada na pesquisa anterior era 10,25%.

Inflação

O mercado financeiro promoveu mais uma rodada de redução na projeção para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2009. De acordo coma pesquisa Focus, a mediana das previsões para o indicador oficial de inflação este ano recuou de 4,57% para 4,52%. Esta é a segunda queda consecutiva no projeção do indicador, que há quatro semanas estava em 4,69%. Porém, a estimativa do mercado permanece acima do centro da meta para 2009, de 4,5%, definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

Para 2010, o mercado manteve a previsão em 4,50% pela 41ª semana seguida, no centro da meta para 2010, também segundo determinação do CMN.

Câmbio

O mercado sustentou em R$ 2,30 a projeção para o dólar no fim deste ano. Para 2010, o mercado elevou a projeção para a taxa de câmbio, passando de R$ 2,28 para R$ 2,30, segundo a Pesquisa Focus.

Contas externas

O mercado manteve em US$ 13 bilhões as previsões para o superávit na balança comercial brasileira tanto para 2009 quanto para 2010, mas promoveu pequenas reduções nas estimativas de déficit na conta corrente (saldo de todas as transações do País com o exterior0. Esta conta do Balanço de Pagamentos para 2009 passou de US$ 24,85 bilhões para US$ 24,50 bilhões e para 2010, de US$ 26,46 bilhões para US$ 26,19 bilhões.

Ainda segundo a pesquisa Focus, o mercado reduziu de US$ 23 bilhões para US$ 22 bilhões a estimativa de ingressos de Investimento Estrangeiro Direto (IED) no País em 2009 e manteve em US$ 25 bilhões a previsão para o IED em 2010.

Tudo o que sabemos sobre:
Banco Centralmercado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.