Mercado reage bem à alta de juros nos Estados Unidos

Em sintonia com a expectativa dos investidores, o banco central dos Estados Unidos (Fed) decidiu elevar os juros do país em 0,25 ponto porcentual ? de 1% para 1,25% ao ano. O mercado financeiro reagiu bem, tanto no Brasil quanto nos Estados Unidos. As bolsas norte-americana que operavam em baixa inverteram a tendência e às 15h23 estão em alta. O índice Dow Jones, que mede o desempenho das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York, está em alta de 0,13%. A Nasdaq , bolsa que negocia ações do setor de tecnologia e Internet, está com alta de 0,44%.No Brasil, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera em alta. Às 15h20, chegou ao patamar máximo do dia, em alta de 0,95%. O dólar comercial chegou à mínima cotação desta quarta-feira às 15h22, em R$ 3,0920, uma queda de 0,51% em relação aos últimos negócios de ontem. Decisão já era esperadaA maioria dos analistas já esperava a alta de 0,25 ponto porcentual. De qualquer forma, não se descartava uma postura mais agressiva por parte do Fed, com uma elevação mais ampla da taxa de juros, já que os últimos números mostraram uma recuperação mais intensa da economia dos EUA. A decisão é muito relevante para as economias de todo o mundo. Juros mais altos nos EUA tendem a reduzir a atividade econômica em todos os país. Isso acontece porque os Estados Unidos são grandes importadores e uma freada na economia norte-americana significa que o mesmo ocorrerá em países que exportam mercadoria para lá. Além disso, países e empresas privadas que precisam captar recursos no exterior terão que pagar juros mais altos na colocação de seus papéis.Por outro lado, esta elevação de juros nos Estados Unidos é vista por muitos analistas de forma positiva, pois vem de um aquecimento da economia norte-americana. Ou seja, os sinais de aquecimento da economia norte-americana já influenciam positivamente economias de todo o mundo. Veja mais informações sobre o assunto no link abaixo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.