Mercado reduz ansiedade; dólar cai 0,15%

Depois de atingir quase R$ 2,00 na manhã de 6ªF, o dólar comercial recuou à tarde e encerrou no preço mínimo de venda, de R$ 1,988, queda de 0,15% sobre o fechamento da véspera. A moeda abriu em alta e manteve-se pressionada durante boa parte da manhã, por conta da frustração com o adiamento da licitação das três concessões da banda C do Serviço Móvel Pessoal e pela preocupação com a recessão nos EUA. Mas, o avanço do comercial até a máxima de R$ 1,997 (+0,30%) no fim da manhã estimulou exportadores a contratar ACC e a vender dólar, para realização de lucro.À tarde, as cotações acentuaram a queda em função de um ingresso de US$ 100 mi e de vendas de dólar por tesourarias de bancos, que se anteciparam ao esperado ingresso de US$ 400 mi no País na próxima semana. Esse fluxo positivo esperado refere-se às operações de captação finalizadas na sexta-feira pelo Bradesco (empréstimo sindicalizado no valor de US$ 100 mi) e pela Cesp (emissão de US$ 300 mi em eurobônus).Segundo analistas, outro fator de estímulo às vendas na sexta-feira foi a divulgação de dados nos EUA mostrando aumento para 268 mil das vagas criadas pelas empresas norte-americanas em janeiro, acima das previsões em torno de 90 mil vagas. A informação ajudou a dispersar a tensão sobre uma desaceleração abrupta e incontrolável da economia dos EUA. Com o aumento das ordens de venda, o giro financeiro no D2 "pronto" manteve-se firme e estável, em cerca de US$ 2,725 bi.Como não houve votações na sexta-feira no Congresso e a próxima sessão será só na próxima terça-feira, o mercado avalia que o dólar poderá encontrar algum espaço para recuar, ainda que momentaneamente, na segunda-feira.Na Bolsa de Mercadorias & Futuros, o contrato cambial que vence em 1º de março chegou a projetar taxa acima de R$ 2,00, mas a cotação futura projetada cedeu no fechamento dos negócios, para R$ 1,9990, com alta de 0,08%. O contrato que vence em 1º de abril indica avanço de 0,21%, para R$ 2,0139. O giro financeiro com contratos cambiais somou R$ 9,77 bi (97.568 contratos negociados). (Silvana Rocha)Dólar comercial a R$ 1,9880 na venda, queda de 0,15%. Paralelo a R$ 2,1530, alta de 0,61%. Ágio de 8,30%. (Dados AE-TAXAS). Dólar futuro/março, alta de 0,03%, a R$ 1,99750. Dólar futuro/abril, alta de 0,21%, a R$ 2,01390.Bolsas - Também a Bovespa reduziu a ansiedade. O índice da carteira teórica paulista fechou em baixa de 0,73%, mas com volume financeiro mais fraco, de R$ 569 mi. A bolsa doméstica até que se sustentou bem, tendo em vista a acentuada queda da Nasdaq durante boa parte do pregão vespertino. Às 18 horas da sexta-feira, a bolsa eletrônica americana recuava 3,40% e o índice Dow Jones caía 0,95%. Já o Ibovespa futuro para fevereiro subiu 0,12%, para 17.100, o que é um sinal promissor.A ausência dos jogos de cena em Brasília em muito contribuiu para o arrefecimento dos ânimos. Se bem que o mercado parece estar mais convencido de que não interessa ao PFL perder os cargos no governo Fernando Henrique, o que reduz sensivelmente o impacto das declarações de Inocêncio Oliveira e Aécio Neves da véspera para a bancada do PT.Quanto ao outro foco de preocupação, a economia norte-americana, não houve informações conclusivas nessa sexta-feira. O índice de desemprego cresceu para 4,2% em janeiro, 0,1 ponto acima das expectativas do mercado. De outro lado, o número de vagas criadas aumentou 268 mil, ante uma expectativa de alta de apenas 90 mil vagas. Este dado foi citado por traders como responsável pela queda das bolsas em Nova York, uma vez que poderia desencorajar o Fed a realizar nova redução dos juros antes da reunião regular de seu comitê de mercado aberto, marcada para 20 de março.Uma empresa privatizável e outra com leilão de ações previsto para março figuraram na lista das maiores altas do Ibovespa na sexta-feira. Cesp PN subiu 3,71%, a segunda maior alta do Ibovespa. A empresa iniciou na véspera a segunda fase de enchimento do reservatório da Usina Hidrelétrica Engenheiro Sérgio Motta, instalada em Porto Primavera, no Rio Paraná, depois de obter licença ambiental do Ibama -a dúvida sobre o enchimento da usina foi um dos motivos do fracasso do leilão no final do ano passado. Já Copene PNA valorizou 2,29%. Na próxima terça-feira, o Banco Central e os vendedores das ações da empresa voltam a se reunir, para definir a nova modelagem de venda dos papéis.As maiores quedas do índice foram as ações das teles. Companhia Riograndense de Telecomunicações Celular PNA caiu 5,84%, seguida de Brasil Telecom Par ON (-4,76%). (Márcia Pinheiro)O Ibovespa fechou em queda de 0,73%, em 16.914 pontos, entre a máxima de +0,98% e a mínima de -1,52%, com volume de R$ 569,451 mi ou US$ 286,444 mi. Contrato de Ibovespa futuro para fevereiro, alta de 0,12%, em 17.100 pontos, entre a máxima de +1,05% (17.260 pontos) e a mínima de -1,35% (16.850 pontos).Na Bovespa, Petrobrás PN, 0,00%. Telemar PN, -1,38%. Globo Cabo PN, 0,00%. Telesp Celular Participações PNB, -2,29%. Eletrobrás PNB, -1,43%. Embratel PN, -3,09%. Bradesco PN, -2,53%. Brasil Telecom Par PN, -1,24%. Cemig PN, +1,03%.Juros - O mercado de juros melhorou na tarde de 6ªF, depois de uma manhã tensa, que ainda refletia as apreensões da véspera com a desaceleração da economia norte-americana. Como a preocupação experimentada pelo mercado da véspera engordou um pouquinho os prêmios - que eram muito baixos quando o mercado estava mais otimista - estes começaram a parecer mais interessantes aos investidores e "chamaram" novas compras. Um mercado mais comprador pressiona os juros para baixo. Assim, depois da alta verificada durante a manhã, os juros fecharam estáveis em relação a da véspera para os contratos de DI futuro mais negociados na BM&F.O contrato de DI futuro para outubro, o mais negociado agora na bolsa, fechou o dia projetando taxa de juros de 15,38% ao ano, da sexta-feira ao vencimento, praticamente no mesmo nível da véspera (15,37%); o de julho, segundo lugar em termos de liquidez, aponta agora 15,16%, ante 15,13% da véspera; e o DI abril, que já vai saindo de cena dos mais líquidos, 15,04%, ante 15,01% da véspera. Também o contrato de um ano (DI a termo) não ficou muito longe do fechamento da véspera: a taxa projetada na sexta-feira foi 15,70%, ante 15,68% da véspera.O mercado de juros tem mais limites à oscilação do que a bolsa, neste momento. Isso porque ninguém no mercado acredita seriamente que os juros - leia-se a taxa Selic, juro básico da economia - possam ser elevados, ainda que a economia norte-americana possa continuar dando sinais fortes de desaceleração. No pior cenário imaginado pelos investidores, a Selic ficaria onde está, ou seja, em 15,25%. E como, a exemplo de na sexta-feira, qualquer melhora nos prêmios chama os investidores à compra, isso quer dizer que ainda se mantém a aposta básica de trajetória de queda dos juros este ano.No final da tarde da sexta-feira, o Tesouro Nacional comunicou ao mercado suas ofertas de títulos prefixados e pós-fixados para o leilão da próxima terça-feira, dia 6, com liquidação financeira no dia seguinte, 7. Confira: lote de 1,5 mi de LTN (prefixado) de 364 dias, com vencimento em 6/2/2002; lote de 1 mi de LTN de 511 dias, com vencimento em 3/7/2002; lote de 1 mi de LFT (pós-fixado) de 1.834 dias, com vencimento em 15/2/2006.O Tesouro também emitirá especialmente para a carteira do Banco Central 1 mi de cada vencimento das LTNs ofertadas ao mercado. (Marisa Castellani)CDB prefixado de 31 dias, 14,67% ao ano. CDB pós-fixado de 28 dias, 16,99%. Hot money, 2,06% ao mês. Capital de giro, 18,36% ao ano. CDI, 15,03%. Over a 15,11% ao mês. (Dados AE-Taxas)Cenário financeiro elaborado pelos editores do AE News/Broadcast

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.