Mercado reduz previsão de corte na Selic hoje

O Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro trimestre de 2009 foi, na opinião do mercado financeiro, uma boa surpresa. Com queda menor que a esperada, parte dos analistas teve de revisar as apostas para o rumo do juro básico que será anunciado pelo Banco Central (BC) hoje à noite.

FERNANDO NAKAGAWA, Agencia Estado

10 de junho de 2009 | 08h06

O sinal de que a reação da atividade pode ser mais rápida diminuiu a corrente dos economistas que preveem corte de 1 ponto porcentual na Selic, atualmente em 10,25% ao ano, e foi consolidada a previsão majoritária de redução de 0,75 ponto, aposta que já prevalecia antes do anúncio do desempenho da economia. Mesmo com a expectativa de um corte menor da Selic, o País deverá ter hoje, pela primeira vez, uma taxa básica de juro de apenas um dígito. Isso só não ocorrerá se o BC surpreender e optar pela hipótese improvável de manter a Selic ou decidir reduzi-la em apenas 0,25 ponto. O número do PIB mudou também o rumo dos negócios no mercado de juros futuros, onde as taxas dos contratos de depósitos interfinanceiros (DIs) subiram rapidamente desde o início do pregão.

Até a última segunda-feira (dia 8), uma parte minoritária dos analistas apostava que o Comitê de Política Monetária (Copom) poderia manter o ritmo do desaperto monetário, com uma nova redução do juro básico de 1 ponto, o que levaria a Selic para 9,25% ao ano. O argumento era que a economia continuava deprimida e que era preciso aliviar os juros para que a atividade pudesse se recuperar mais rapidamente. O PIB, no entanto, mostrou que as coisas têm andando em passo melhor que o imaginado. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
juroSelicCopom

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.