Mercado reduz previsão do PIB para 0,16% em 2014 e mantém inflação em 6,38%

Para 2015, analistas preveem crescimento menor da economia, estimado em 0,69%; IPCA deve fechar o próximo ano em 6,5%

Laís Alegretti, O Estado de S. Paulo

15 Dezembro 2014 | 08h59

BRASÍLIA - Com a proximidade do fim do ano, analistas fazem ajustes mais finos para as estimativas de inflação no Relatório de Mercado Focus, que foi atualizado nesta segunda-feira, 15, pelo Banco Central. Mais uma vez houve redução da estimativa para o Produto Interno Bruto (PIB) de 2014, que passou de 0,18% para 0,16%. Há um mês a expectativa mediana para o crescimento do País estava em 0,21%.

Para 2015, há uma perspectiva dos analistas de que haverá um crescimento de 0,69%, valor também inferior à previsão da semana anterior, quando estava em 0,73%. Quatro semanas antes, a estimativa estava em 0,80%.

No boletim Focus, a mediana das estimativas do mercado para a produção industrial revela uma expectativa de queda de 2,50% este ano - mesmo patamar da semana passada. Há quatro semanas, essa projeção era uma queda de 2,30%. Para 2015, o crescimento desse segmento deve ser de 1,13%, ante 1,23% do levantamento anterior e 1,31% de um mês atrás.

Os economistas também ajustaram suas estimativas para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB em 2014, que passou de 36,00% para 35,90% - um mês antes a perspectiva para esse indicador estava em 35,80%. Para 2015, a mediana subiu de 36,35% para 37,00%. 

Inflação. Analistas mantiveram as projeções para a inflação deste e do próximo ano. Para o IPCA de 2014, a mediana das projeções se manteve em 6,38% e, para 2015, se manteve em 6,50%. Há um mês, as duas projeções estavam no mesmo patamar, de 6,40%.

Dólar. A pesquisa de mercado do Banco Central trouxe mudanças nas estimativas para o câmbio. A mediana das projeções para o dólar no fim de dezembro de 2014 foi elevada de R$ 2,55 para R$ 2,60. Há um mês, estava em R$ 2,53. Para 2015, a cotação também subiu, passando de R$ 2,70 para R$ 2,72. Um mês antes estava em R$ 2,61.

Juros. O mercado manteve a estimativa de que a Selic ficará em 12,50% ao ano no fim de 2015. Há quatro semanas, a expectativa era de que a taxa básica de juros encerrasse o próximo ano em 12,00% ao ano. A Selic média em 2015 deverá ficar em 12,47%, segundo os analistas. Na semana passada, a mediana estava em 12,38% e, há um mês, em 11,97%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.