Mercado reduz previsões de Selic e IPCA neste ano, diz Focus

Projeção para o avanço do PIB em 2009 foi mantida em 1,5 % e para 2010 permaneceu em 3,6 %

Reuters e Fernando Nakagawa, da Agência Estado

25 de fevereiro de 2009 | 12h42

O mercado financeiro do País reduziu pela segunda semana consecutiva as estimativas para a inflação e a taxa de juros neste ano, mas manteve o prognóstico para o crescimento econômico, segundo o relatório Focus divulgado nesta quarta-feira, 25. A previsão para a Selic caiu de 10,50 % na semana anterior para 10,38 % agora. O prognóstico para o juro em 2010 também declinou, para 10,50 %, contra 10,75%.   Veja Também: As medidas do emprego De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise   Para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deste ano, o mercado vê uma alta de 4,66 %, abaixo dos 4,69 %do relatório anterior. A estimativa para a inflação em 2010 foi mantida em 4,5%. A projeção para o avanço do Produto Interno Bruto (PIB) em 2009 foi mantida em 1,5 %  e para 2010 permaneceu em 3,6 %.    Quatro semanas antes, a estimativa era de crescimento do PIB no próximo ano era de 3,80%. No mesmo levantamento, a estimativa de expansão do setor industrial em 2009 caiu de 1,50% para 1,30%, ante expectativa de 2% de um mês atrás. Para 2010, a mediana das previsões seguiu em 4%, ante 4,05% de quatro semanas antes.Analistas reduziram ainda a estimativa para o nível da relação entre a dívida líquida do setor público e o Produto Interno Bruto (PIB) de 36,2% para 36,1% em 2009. Para 2010, a previsão caiu de 35,25% para 35%. Há um mês, o mercado esperava 36,45% e 35,30% em cada ano, respectivamente.     Contas externas   O mercado financeiro não alterou a previsão para o déficit nas contas externas em 2009, conforme mostra a pesquisa Focus. No levantamento semanal feito com cerca de 80 analistas do mercado, a mediana das previsões para o déficit neste ano seguiu em US$ 25 bilhões pela oitava semana seguida. Para 2010, a previsão de déficit caiu de US$ 27 bilhões para US$ 26,31 bilhões. Há um mês, o mercado previa déficit de US$ 30 bilhões no próximo ano.   No levantamento, a previsão de superávit comercial em 2009 caiu de US$ 14 bilhões para US$ 13,6 bilhões, ante estimativa de US$ 14,5 bilhões registrada quatro pesquisas antes. Para 2010, a estimativa de saldo comercial caiu de US$ 13,85 bilhões para US$ 13 bilhões, acima dos US$ 13,85 bilhões previstos há um mês.Analistas não alteraram a estimativa de ingresso de Investimento Estrangeiro Direto (IED) em 2009, que permanece em US$ 23 bilhões.   Para 2010, a estimativa de entrada dos dólares seguiu em US$ 25 bilhões. Quatro semanas antes, o mercado esperava, respectivamente, ingresso de idênticos US$ 23 bilhões e US$ 25 bilhões em cada um dos anos.      

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.