Mercado reduz projeção da inflação, mostra pesquisa do BC

A projeção média do mercado financeiro para a variação do IPCA ? o índice de inflação do IBGE, que serve de base para os cálculos da meta de inflação do governo - nos próximos 12 meses caiu de 6,50% para 6,20%, conforme pesquisa semanal realizada pelo Banco Central com cerca de 80 instituições do mercado. Para o mês de julho, os consultados pelo BC reduziram de 0,40% para 0,30% suas projeções para a variação do IPCA. Também foi reduzida a estimativa de inflação do mês de agosto, que passou de 0,60% para 0,57%. Segundo a pesquisa semanal, o mercado financeiro brasileiro espera que o IPCA acumule em 2003 uma inflação de 10,02%. Na semana passada, a estimativa das instituições consultadas pelo BC era de uma inflação de 10,13%. Para o conjunto dos preços administrados, a expectativa do mercado é de que ele acumule uma inflação de 13,84% em 2003 e não mais 13,90% como estimado até semana passada. Para o próximo ano, as instituições consultadas pelo BC apostam que o IPCA acumulará uma alta de 6,50%, mesmo valor projetado na semana passada. Para os preços administrados em 2004, a expectativa do mercado também foi mantida: inflação de 8% desse conjunto de preços. Dólar: projeção tem pequena alta As instituições consultadas semanalmente pelo Banco Central elevaram suas projeções para a taxa de câmbio do final de 2003. De acordo com a pesquisa divulgada esta manhã, a aposta das instituições é que o dólar estará cotado a R$ 3,18 ao final do ano e não mais R$ 3,15 como estimado até semana passada. Para o final de 2004, a projeção do mercado sofreu uma pequena alteração. A aposta agora é que o dólar estará valendo R$ 3,44 e não mais R$ 3,45 como previsto na pesquisa passada. Juros: projeção se mantém em 20%A projeção média do mercado para a Selic ao final de 2003 foi mantida em 20%. As instituições consultadas pelo BC também mantiveram em 16% a projeção média para o patamar em que a taxa Selic deverá estar ao final de 2004. PIB: projeção tem alta de 0,1 pontoO mercado financeiro brasileiro estima que a economia do País crescerá este ano 1,56%. Até na semana passada, as projeções feitas indicavam um crescimento de 1,55% para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2003. Foi mantida a estimativa de um crescimento de 3% para o PIB em 2004. Dívida líquidaEm relação ao tamanho da dívida líquida do setor público, a expectativa das instituições consultadas pelo BC é de que a relação da dívida com o PIB ao final de 2003 estará em 54,90%, pouco abaixo dos 54,95% projetados até a semana passada. Para 2004, as projeções indicam que a relação dívida/PIB estará em 53,50%, mesmo valor estimado na pesquisa anterior. Déficit em conta corrente O mercado financeiro brasileiro reduziu de US$ 3 bilhões para US$ 2,85 bilhões a projeção para o déficit em conta corrente que o País deverá acumular em 2003. Para 2004, entretanto, a estimativa feita na semana passada - déficit de US$ 5,05 bilhões - foi mantida. Balança comercial O mercado financeiro brasileiro elevou de US$ 17,40 bilhões para US$ 17,50 bilhões a projeção média para o superávit comercial que deverá ser alcançado em 2003. Para 2004, as apostas continuam sendo de um saldo comercial positivo de US$ 15 bilhões. Investimentos estrangeiros Para os investimentos estrangeiros diretos (IED), as estimativas de ingresso para 2003 e 2004 também foram mantidas: US$ 9 bilhões e US$ 12 bilhões, respectivamente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.